VIDA SAUDÁVEL – Ler rótulos é importante

Edulcorante, maltitol, aspartame e umectante. Você sabe o que são estas substâncias? Em alimentos ultraprocessados, ou seja, que passaram por vários processos até chegar ao consumidor, eles etão muito presentes. E ler o rótulo desses alimentos _e de todos os outros_ antes de consumi-los é muito importante. No rótulo também constam informações como a composição do produto, além de dados nutricionais. Mais avisos do fabricante.

Ler rótulos antes de comprar o produto ajuda a definir os gastos, além de informar a composição do produto

A relações públicas Patrícia Marques já lê rótulos há tanto tempo que virou hábito. O que ela ganha com isso? “Tem muito alimento que parece ser saudável e na verdade não tem nada de saudável. Eles escondem isso com a embalagem. Têm produtos que você acha que não têm açúcar, gordura hidrogenada e na verdade é uma bomba calórica. Eles se disfarçam”, destaca.

 ❤ Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲.
Salve o número   011 9 9985-3577 e
envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto! 

Depois que começou a conhecer os ingredientes dos produtos, a Patrícia retirou alguns alimentos da dieta dela, principalmente os que têm sódio em excesso. “Leio por cuidado mesmo, pra saber o que estou consumindo. Quem não tem a curiosidade de saber o que são esses nomes acaba ingerindo algo que pode ser ruim pra saúde. Tem que ler o rótulo dos alimentos! Você cria esse hábito e te ajuda a fazer as escolhas certas. Se comer errado, tem consciência do que está consumindo”, ressalta.

Conhecer a origem dos alimentos

Conhecer a composição daquilo que comemos é ainda mais importante para quem tem algum tipo de alergia alimentar. É o caso do fotógrafo Maurício Zanin, que não pode comer arroz ou derivados. Para evitar transtornos, há anos ele passou a ler os rótulos antes de comer qualquer coisa. “Tem uma quantidade de ingredientes colossal que pode te fazer mal e você não percebe. E você só vai saber quando tem uma reação alérgica forte. A partir de então, eu, minha mãe, minha esposa, antes de comer, lemos o rótulo”, conta.

Zanin lembra que há alguns anos os rótulos eram pouco interessantes e não traziam tantas informações como hoje. A legislação trouxe exigências para a indústria alimentícia. “Ainda têm aqueles mais claros e com letras pequenas. Ai se eu não consigo ler o rótulo eu não como o alimento. Imagine antes, quando não tínhamos o rótulo, quantas crianças não morreram de alergia sem saber o motivo”, lembra o fotógrafo.

A escolha dos alimentos e como ler o rótulo

A coordenadora de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Michele Lessa, aconselha que criemos o hábito de ler as embalagens dos produtos. “O rótulo nos permite identificar entre os alimentos, qual deles têm menos sódio, menos açúcar, menos gordura. Quais têm ou não conservantes, de preferência os que não tenham. Se têm ou não glúten, para aquelas pessoas quem têm doença celíaca. O rótulo nos permite identificar se o produto está vencido ou não, quando observamos o prazo de validade do alimento”.

Outra dica da Michele é evitar alimentos com aditivos, edulcorantes e conservantes. “Quanto mais dessas substâncias que têm nomes esquisitos, pouco familiares, que não temos em casa, menos saudável o alimento é. Por isso precisamos optar por produtos orgânicos e preferir alimentos in natura ou minimamente processados. Além de limitar o consumo de alimentos processados e evitar os ultraprocessados”, ressalta.

Cabem às empresas que produzem alimentos se adequarem às normas de rotulagem dos produtos. É possível denunciar embalagens que não seguem a legislação à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pelo email ouvidoria@anvisa.gov.br, pelo escritório da Vigilância Sanitária mais próxima, direto n Procon ou Ministério Público.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções; links rompidos ou inexistentes; informações enviadas com incorreções. Imagens dos sites das empresas citadas. Com informações do blog Saúde, do Ministério da Saúde.
Anúncios

DE GRAÇA – Instituto Moreira Salles abre na Paulista com exposição de fotos de Robert Frank

Instituto Moreira Salles da  Paulista

São Paulo ganha um novo local para quem quer curtir arte, fotografia, filmes, exposições, workshops com mestres renomados e muito mais. O Instituto Moreira Salles inaugura hoje sua nova sede situada na avenida Paulista com uma exposição de 83 fotos de Robert Frank, “Os americanos”. A entrada é gratuita!

Pertencente à coleção da Maison Européenne de la Photographie, de Paris, é uma das poucas séries completas da obra de Frank; É resultado de uma jornada de 9 meses do fotógrafo por  boa parte dos Estados Unidos.

Esse trabalho foi possível graças à uma bolsa da Guggenheim Fellowship. A viagem ocorreu entre 1955 e 1957 e originou mais de 28 mil fotografias _que se tornaram verdadeiros retratos de uma América multifacetada.

No projeto, concebido e construído em intensa interação com o fotógrafo Walker Evans, seu amigo e mentor, o registro dos personagens do país em recortes sociais, econômicos, culturais e políticos distintos deram

Foto da exposição Os americanos, de Robert Frank, no IMS Paulista

origem a um livro homônimo, cuja versão brasileira será publicada pelo IMS em parceria com a célebre editora alemã Steidl.

 ❤ Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲.
Salve o número
011 9 9985-3577 e
envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto!
Cineteatro do IMS Paulista

O novo centro cultural 

O Instituto Moreira Salles tem acervos nas áreas de fotografia, música, literatura e iconografia.  Presidido por João Moreira Salles, documentarista, realiza exposições de artes plásticas de artistas brasileiros e estrangeiros, além de mostras de cinema. Tem sedes no Rio de Janeiro e Poços de Caldas.

O novo centro cultural situado na avenida Paulista, próximo da avenida Consolação, tem sete andares, todos com pé-direito duplo, em um projeto realizado a partir de conceitos sustentáveis. São 3 salas de exposição e um dos destaques é a Praça IMS, acessível diretamente a partir do vão livre do térreo por escadas rolantes até o quarto andar.

Além das áreas para exposições, com mais de 1.200 metros quadrados, o IMS Paulista conta também com um cineteatro – onde vão acontecer mostras de filmes, eventos musicais, seminários e debates –, uma biblioteca de fotografia, salas de aula, a loja/livraria IMS por Travessa e o café-restaurante Balaio.

É fácil chegar: metrô Consolação ou as linhas de ônibus que servem as avenidas Paulista e Consolação _veja as linhas todas aqui.

Ingressos

As exposições e a visita ao IMS Paulista têm entrada gratuita.  Para o cinema, os ingressos podem ser adquiridos no balcão da Praça IMS ou pelo site ingresso.com. Os preços variam de R$ 8 a R$ 26, de acordo com o filme.

Shows, cursos e determinados eventos: dependendo do programa, os ingressos podem ser comprados no site eventbrite  ou quando há senhas, serão distribuídas gratuitamente meia hora antes do início da atividade. Acompanhe a programação no site, aqui.

Área interna do IMS Paulista

IMS São Paulo

  • Avenida Paulista, 2.424, São Paulo, SP, fone (11) 2842-9120
  • Horários: terça a domingo e feriados, das 10h às 20h; quintas, das 10h às 22h
  • WiFi e guarda-volumes gratuito
  • Bicicletário gratuito das 10h às 20h
  • Site, aqui

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções; links rompidos ou inexistentes; informações enviadas com incorreções. Imagens do site do IMS. Preços de 20 de setembro de 2017.

BARATO E SAUDÁVEL – Pão de mandioca sem óleo, fofo e crocante

A luta por uma alimentação saudável e barata continua! Para começar a semana, uma receita de pão caseiro sem óleo! Nem manteiga. Saudável e fofinho, ainda por cima com casca crocante!

Pão de mandioca feito em casa fica fofo e com casca crocante

É fácil de preparar, mesmo para quem não está acostumado a cozinhar ou assar pão.

E vamos do começo:

Ingredientes:

  • 3 pedaços de mandioca tamanho médio (tipo 1 palmo) cozida e amassada no garfo
  • 2 xícaras (chá) de farinha branca
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo integral
  • 1 ovo
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1 xícara (café) de linhaça dourada
  • 1 colher (café) de sal
  • 1 colher (café) de açúcar
  • 1 envelope de fermento biológico

IMPORTANTE – o que garante a maciez do pão é o óleo natural da linhaça. Para que você use e abuse deste ingrediente, é preciso colocar as sementes inteiras em uma xícara de água (de chá, não totalmente cheia) por pelo menos 4 horas. Pode deixar da noite para o dia seguinte, se preferir.

 ❤ Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲. Salve o número 011 9 9985-3577 e envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto! ❤

Como fazer:

1 – Deixe à mão todos os ingredientes e aqueça o leite (sem ferver). Misture a mandioca com um pouco do leite e o ovo já mesclados. Vá adicionando o trigo (misturado, branco e integral) e o leite e os outros ingredientes até que fique difícil mexer com a colher (usei uma colher grande e depois passei para uma de pau, bem melhor).

2 – Hora de passar para a mesa, previamente limpa, claro. Acrescente mais trigo se necessário.

3 – Espalhe uma fina camada de farinha na mesa e comece a sovar a massa (o vídeo é de pão de mandioquinha, já publicado aqui).

EU FAÇO – Pão zero gordura na boca do forno

4 – Com calma, vá amassando com a palma das mãos e colocando farinha de trigo (pouco) até que ela não grude de forma alguma.

A receita de pão de mandioca é fácil de preparar e rende 2 pães grandes

5 – Sove bem, uns 8 minutos aproximadamente. Pronto? Faça uma “bola meio oval” e deixe crescer até dobrar de tamanho. Vai demorar 40, 50 minutos.  Use um pano de prato para cobrir e proteger. Escolha um canto da cozinha ou dentro do forno _frio, lógico livre do vento.

6 – Depois da massa crescer, corte com cuidado, ajeite e coloque em formas untadas com um pouco de óleo e farinha de trigo polvilhada. Pode usar desmoldante, se quiser.  Deixe espaço por todos os lados, porque você vai colocar para crescer novamente.

7 – Mais uma vez, cubra com o pano de prato e deixe em ambiente tranquilo, sem vento.

8 – Aos 45, 50 minutos, ligue o forno para aquecer em fogo médio. Quando der uma hora que colocou a massa na forma, coloque no forno (que você aqueceu há uns 10 minutinhos, certo?). Cuidado para não tocar na massa nem bater a porta do forno, pois a massa é bem sensível e pode murchar.

9 – Asse em forno médio por cerca de 30/35 minutos.

:ARROW:  DICAS: Ah, se não pré-aqueceu o forno, deixe 10 minutos em forno alto e passe para o médio.

Acompanhe no visor do forno para ter certeza de não queimar. Se achar que está ficando muito moreno, coloque um pedaço de papel alumínio por cima, mas sem “encaixar” _somente para proteger do calor.

Quando chegar perto dos 30 minutos, faça o teste do palito _que deve sair do pão seco, sem massa grudada. Pronto, pão quentinho saindo do forno!

As fotos deste post correspondem a uma receita completa, mais um tanto de trigo que precisei adicionar porque coloquei um pouco de água na mandioca (e não deveria).

Rendeu dois pães grandes. Ficaram fofos e a casca crocante e não dura. Usei duas formas de alumínio tamanho médio. Pode usar forma de papel para que o pão fique mais alto, se quiser. Logo vou querer experimentar na forma de pão ou bolo inglês.

Depois de tirar do forno, passe para uma grade como a da foto ou em um pano de prato, pois ele vai “suar”.

Ficou uma delícia com queijo da Canastra no grill. Opa!

Bom apetite!

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por links rompidos ou inexistentes. Fotos do blog.

VACINAS ATRASADAS – DE GRAÇA – Amanhã é dia de imunizar crianças e adolescentes até 14 anos

Atenção, pais, tios e até avós: amanhã, dia 16 de setembro, é o “Dia D” da vacinação de crianças e adolescentes até 15 anos incompletos. Os postos de saúde em todo país estarão abertos amanhã, sábado, para a Campanha de Multivacinação que tem como objetivo imunizar contra doenças que ainda não estão eliminadas no Brasil e, portanto, representam riscos para quem não estiver vacinado, informa o Ministério da Saúde.

Mãe leva menina para se vacinar em posto do SUS (foto Agência Brasil)

Quem não puder ir com filhos, sobrinhos, afilhados e netos não deve se desesperar. O governo esclarece que até o dia 22 deste mês (sábado), estarão disponíveis nos postos de saúde 13 vacinas para crianças até nove anos e oito vacinas para adolescentes de 10 a 15 anos.  Será o último dia da Campanha lançada pelo ministro Ricardo Barros, em Brasília.

Baixe as vacinas disponíveis e como devem ser tomadas no final do post

❤ Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲.
Salve o número 011 9 9985-3577 e
envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto! ❤
Cartaz da Campanha de Multivacinação

Neste ano, serão convocados mais de 47 milhões de crianças menores de cinco anos, crianças de nove anos e também adolescentes de 10 a 15 anos incompletos para atualizarem o calendário vacinal. Mais da metade (53%) desse público já deveriam estar com o seu calendário de vacinação completo. Como se vê, nem todos foram procurar vacinas para se proteger.

A campanha vai rolar em 36 mil postos fixos de vacinação e envolver 350 mil profissionais de saúde. Além do envio de 143,9 milhões de doses de vacina de rotina, o Ministério da Saúde ainda distribuiu aos postos de saúde 14,8 milhões de doses extras de 15 vacinas para a campanha.

Além disso, o Ministério da Saúde planeja instituir um dia nacional de vacinação nas escolas. “Pretendemos avançar ainda mais na conscientização dos pais para a importância da vacinação de crianças e adolescentes. Só com essa conscientização é que a população brasileira estará protegida de uma série de doenças,” enfatiza o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Crianças não vacinadas

As crianças somente estarão protegidas com calendário de vacinação em dia. Por isso, o Ministério quer, com a mobilização, reforçar o acesso às vacinas, alertando estados e municípios da importância de manter elevadas coberturas vacinais, evitando o reaparecimento de doenças já controladas ou mesmo eliminadas no país.

Dados sobre vacinação recomendada para crianças ao nascer ou menores de completarem um ano, de acordo com os dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI), apontam que 760 mil crianças ainda não foram vacinadas com BCG; 950 mil com a hepatite B; 470 mil crianças ainda não foram vacinadas com pneumocócica e rotavírus.

Ainda para esse grupo, 240 mil crianças não foram imunizadas com a vacina de meningite C. Já, a penta e poliomielite, também apresentam um grande números de crianças sem vacinação, são 320 mil crianças não vacinadas para a penta e 790 crianças não vacinadas para polio.

Dentre as recomendadas para crianças de um ano, estão as vacinas tríplice, com 150 mil crianças ainda por vacinar, pneumocócica, com 470 mil crianças por vacinar e meningite C com 180 mil crianças ainda não vacinadas.

Menino recebe vacina contra HPV (Foto Agência Brasil)

Para o grupo de vacinas recomendadas para crianças com 15 meses – hepatite A, DTP, Pólio e tríplice viral/Tetra – são 840 mil crianças sem vacina para hepatite A, 1,1 milhão para DTP, 800 mil para Pólio e 707 mil crianças sem vacina para tríplice viral.

Adolescentes não vacinados

A situação é mais crítica nas vacinas para adolescentes. Na meningocócica C, por exemplo, são 5,9 milhões de adolescentes de ambos os sexos na faixa de 12 e 13 anos ainda não se vacinaram. O mesmo ocorre na vacina de HPV. São 73,6% das meninas de 9 a 15 anos vacinas com a primeira dose e apenas 47% com duas doses. Já entre os meninos, 23,6% de adolescentes do sexo masculino foram vacinados aos 12 e 13 anos. Outra vacina para adolescentes com baixas coberturas é para a hepatite B, em 2016, não foram vacinados 1,3 milhão de jovens.

Também a vacina de febre amarela, que teve surto recentemente finalizado pelo Ministério da Saúde, tem estimativa de cerca de 2,4 milhões de pessoas vacinadas abaixo dos 14 anos.

Frasco de vacina contra a gripe (foto Marcelo Camargo, Agência Brasil)

Embora ainda existam crianças e adolescentes não vacinados, o número estimado de não vacinados não pode ser somado, já que as crianças ou adolescente podem não ter sido vacinados para mais de uma doença.

Gripe ou influenza

A Multivacinação também é uma oportunidade para municípios que ainda tenham vacina contra influenza continuem a vacinar o público-alvo da campanha (menores de 15 anos).

Dê uma checada na tabela preparada pelo Ministério da Saúde _e no final do post, baixe os arquivos com explicações de como devem ser tomadas e contra-indicações:

Calendário de Vacinação da Criança Calendário de Vacinação do Adolescente
BCG – ID Hepatite B
Hepatite B (mantida dose ao nascer) dT (Dupla tipo adulto)
Penta (DTP/Hib/Hep B) Febre amarela
VIP (Vacina Inativada Poliomielite) Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba)
VOP (vacina oral contra pólio) dTpa
VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano) HPV
Vacina Pneumocócica 10 valente Vacina meningocócica conjugada tipo C
Vacina febre amarela
Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba)
DTP (tríplice bacteriana)
Vacina meningocócica conjugada tipo C
Tetraviral (Sarampo, rubéola, caxumba, varicela)
Hepatite A

  VACINAS DISPONÍVEIS para crianças de 7 anos a adolescentes até 15 anos

  VACINAS DISPONÍVEIS – Crianças menores de 7 anos

vale mais já publicou:

 FEBRE AMARELA –Saiba os sintomas e como se prevenir

: arrow: FEBRE AMARELA – Imagens e frases de prevenção para WhatsApp 📱

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por links rompidos ou inexistentes; informações enviadas com incorreções. Com a Agência Saúde.

ZIKA – Governo vai ampliar atendimento à crianças com microcefalia

Boa notícia para todas as famílias que têm bebês nascidos com microcefalia causada pelo vírus da Zika em grávidas. O Ministério da Saúde anunciou ontem que vai investir R$ 27 milhões para reforçar o atendimento e a rede de cuidado a essas crianças. Serão destinados cerca de R$ 2,2 mil de recursos para cada criança investigada. A ação visa promover ações de cuidado e organização de toda a rede assistencial para atender as diversas necessidades das crianças.

Cena de websérie do Ministério da Saúde sobre a microcefalia

Ricardo Barros, ministro da Saúde, explicou as ações do governo:

  • ampliar e qualificar os serviços na Atenção Básica, por meio dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs);
  • avaliar os 5,3 mil casos confirmados e em investigação em todo o país;
  • fortalecer as ações de vigilância.

Para quem está envolvido com famílias com bebês nessa situação, o governo preparou uma série de vídeos para a Internet com 16 episódios com histórias de pessoas impactadas pelos serviços oferecidos pelo SUS.

O primeiro é emocionante. Veja só:

Detalhes

Do total anunciado, R$ 15 milhões serão repassados para 4.143 equipes de Núcleo de Apoio à Saúde da Família que possuam profissionais de fisioterapia. Os valores serão destinados à aquisição de kits para reforçar a estimulação precoce, como colchonetes, bolas, brinquedos que estimulam os sentidos e a coordenação motora, trena antropométrica, martelo de reflexo, entre outros materiais. Esses são os serviços mais próximos das famílias.

Também para reforçar a continuidade da assistência às crianças vítimas da síndrome congênita associada ao Zika, o Ministério da Saúde repassará R$ 11,8 milhões aos Estados e municípios com o objetivo de fortalecer os serviços de avaliação, diagnóstico e acompanhamento dos 5,3 mil casos confirmados e em investigação neste momento.

Mosquito que transmite a Zika,  dengue e febre Chikungunya, Aedes aegypti, durante picada; foto Sanofi Pasteur, agosto de 2012

Atualmente, a rede de reabilitação em todo o país conta com 2.323 serviços de reabilitação e estimulação credenciados no SUS, com 190 Centros Especializados em Reabilitação (CERs), 33 Oficinas Ortopédicas, 238 serviços de reabilitação em modalidade única e 1.862 serviços de reabilitação credenciados pelos gestores locais.

Entre 2015 e 2017 foram registrados 14.577 casos e 883 óbitos causados pela síndrome. Em agosto deste ano, de acordo com o novo boletim epidemiológico, 20% dos casos foram confirmados, 21% permanecem em investigação e 44% foram descartados. Os casos de microcefalia vêm diminuindo desde maio de 2016.

MEDICAMENTO – No início de setembro, o Ministério da Saúde incorporou um novo e moderno medicamento para o controle de convulsões em pacientes com microcefalia decorrente de infecção pelo vírus Zika.  Estará disponível aos pacientes do SUS em até 180 dias.

vale mais publicou:

+ ZIKA – Cartilha ensina prevenção e cuidados com grávidas e recém-nascidos

+ ZIKA, DENGUE – Berço com mosquiteiro protege bebês e crianças

vale mais já abordou a importância da prevenção nestes posts:

+ ZIKA, DENGUE – Mosquiteiro garante sono protegido do Aedes aegypti

+ VÍRUS ZIKA, DENGUE – Ataque de repelente contra o Aedes aegypti

+ Helloou!! Saiba se prevenir contra a dengue

Saiba mais como se prevenir contra a Zika, dengue e outras doenças causadas pelo Aedes aegypti acompanhando o blog. Previna-se!

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções.

10 camisetas e acessórios com a cara do Rock in Rio

Rock in Rio está quase chegando. Se você vai curtir lá na platéia do Justin Timberlake, Bon Jovi ou da Lady Gaga, no Rio de Janeiro, em casa mesmo, ou com amigos em bares com telões, não importa. Entrar na clima com um visual do maior festival de rock do Brasil é fundamental.

Boné aba curva em sarja com bordado e aplique de metal, R$ 79,90, na Boneleska, aqui; camiseta Palhetas preta, no Submarino, R$ 79,99, aqui, e Babador Guitarra Les Paul Marrom – Rock In Rio, R$ 39,99 no Submarino, aqui

Selecionei algumas camisetas e acessórios para você comprar aqui mesmo na Internet. Tem para mulher, homem e até para bebê.

Camisetas do Mercado Livre, vários preços, aqui
Sandálias masculina e feminina, R$ 69,99, na Redley, aqui

É, deixar o baby com visual de guitarra também vale!

O Rock in Rio vai rolar de 15 a 17 e 21 a 24 de setembro no Parque Olímpico do Rio de Janeiro.

Camiseta Rock in Rio à venda no Mercado LIvre, aqui
Justin Timberlake em foto do site Rock in Rio

Vem sentir o clima com dois clipes dos astros Lady Gaga e Justin Timberlake no canal vale mais no Youtube, aqui.

Logo whatsapp Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲. Crie um contato para vale mais no número  011 9 9985-3577 e envie a frase Eu quero no WhatsApp. Pronto!

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções; links rompidos ou inexistentes; informações enviadas com incorreções. Imagens dos sites das empresas citadas. Preços de 10 de setembro de 2017.

EU FAÇO – Curso gratuito ensina a customizar jeans

Tudo azul e mais um pouco por sua conta. A C&A vai ensinar a customizar peças jeans. Tudo de bom, porque você pode aproveitar uma roupa do seu guarda-roupa ou investir em uma nova e criar em cima. Ótima ideia para se economizar para esta privaera e verão que vem aí.

Shorts jeans customizado da Moreht, um exemplo que dá vontade de fazer igual

O workshop vai rolar na próxima quinta-feira (14), na loja-conceito do Shopping Iguatemi, em São Paulo.

Shorts à venda no Elo 7, uma beleza só

Interessados em aprender como dar nova vida ao jeans devem se inscrever diretamente no caixa da unidade.

São 40 vagas que serão preenchidas por ordem de chegada. Serão duas turmas, a primeira às 13h e a segunda às 18h30.

vale mais

Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções; links rompidos ou inexistentes; informações enviadas com incorreções.