Arquivo da categoria: Cidades

Maravilhas vistas no Rio de Janeiro

Chamada FreddieParabéns, Rio de Janeiro! Ô maravilha de cidade, com 450 anos, está inteiraça, cheia de paisagens belíssimas, de cariocas hospitaleiros, garotas de Ipanema, chopps, biquinis, surf, vôlei, esportes ousados…

A noite em Botafogo aos olhos do fotógrafo João Caldas
A noite em Botafogo aos olhos do fotógrafo João Caldas

Natureza exuberante: praias, lagoas, rios, ilhas, pedras, baías. Por do sol que merece aplauso, nascer do dia que recebe quem anda correndo. Tanta imagem prá descrever que faltam palavras.

Cristo olha a cidade, Pedro Kirilos, Riotur, Fotos Públicas (15 de agosto de 2014)
Cristo olha a cidade, Pedro Kirilos, Riotur, Fotos Públicas (15 de agosto de 2014)

O Rio já foi capital federal. Guarda muita história nas ruas, em uma penca de bons museus e institutos culturais. Tem o melhor Carnaval do mundo e os cariocas da gema dizem que nos morros da cidade nasceu o samba. Mas tem funk também. E rap. E passinho.

Caminho imperial de palmeiras no Jardim Botânico de Silvestre Silva
Caminho imperial de palmeiras no Jardim Botânico do fotógrafo especializado em natureza Silvestre Silva
A cidade vista do alto do Pão de Açúcar por sama093, 5 de setembro de 2014, licença Creative Commons
A cidade vista do alto do Pão de Açúcar por sama093, 5 de setembro de 2014, licença Creative Commons

Tem vários morros. No Corcovado, Cristo olha a cidade. No Pão de Açúcar, o bondinho vai e vem com turistas, passeio indispensável. Quem não quer levar em suas câmeras e celulares as vistas maravilhosas do Rio de Janeiro?

Copacabana tem sua marca, registrada pelos arquitetos do escritório holandês Seier + Seier, licença Creative Commons, julho de 2007
A marca de Copacabana registrada pelo escritório holandês de arquitetura Seier + Seier, licença Creative Commons, julho de 2007
Garotinha na Favela da Rocinha aos olhos de Fabio Venni, novembro de 2006, licença Creative Commons
Garotinha na Favela da Rocinha aos olhos de Fabio Venni, novembro de 2006, licença Creative Commons

Mas onde tem morro tem favela. E o Rio sem favela não é o Rio.

Para comemorar o aniversário da segunda maior cidade do país, vale mais escolheu algumas fotos para tentar retratar um pouco de tudo o que a cidade tem.

Rola o post, galera, porque os clicks são de encher os olhos!

Uma cidade sob um grande arco, Alexandre Macieira, Riotur - Fotos Públicas (15 agosto de 2014)
Uma cidade sob um grande arco, Alexandre Macieira, Riotur – Fotos Públicas (15 agosto de 2014)
Ponte Rio Niterói, beleza arquitetônica aos olhos de Tomaz Silva, agência Brasil, Fotos Públicas (1 de março de 2015)
Ponte Rio Niterói, de Tomaz Silva, agência Brasil, Fotos Públicas (1 de março de 2015)
Castelo retirado na Ilha Fiscal, Pedro Kirilos, Riotur, Fotos Públicas (28 fevereiro 2015)
Castelo retirado na Ilha Fiscal, Pedro Kirilos, Riotur, Fotos Públicas (28 fevereiro 2015)
Lapa em cores de Roberto Moretti, março de 2009, Creative Commons
Lapa em cores de Roberto Moretti, março de 2009, Creative Commons
Os reflexos no centro da cidade, Roberto Moretti, licença Creative Commons
Os reflexos no centro da cidade, Roberto Moretti, licença Creative Commons
Maracanã em dia de jogo, , foto de Sama093 feita em 7 de setembro de 2014 com licença Creative Commons
Maracanã em dia de jogo, foto de Sama093 feita em 7 de setembro de 2014 com licença Creative Commons
Beleza na piscina do Instituto Moreira Salles, Suse Kater
Reflexos no Instituto Moreira Salles, no bairro da Gávea, por Suse Kater
Ipanema, entre a Lagoa Rodrigo de Freitas e o mar, Alexandre Macieira, Riotur, Fotos Públicas (28 fevereiro 2015)
Ipanema, entre a Lagoa Rodrigo de Freitas e o mar, Alexandre Macieira, Riotur, Fotos Públicas (28 fevereiro 2015)
O mar da Barra está para surf na prancha de Adriano de Souza, foto de  Ideraldo Gomes, maio de 2011, licença Creative Commons
O mar da Barra está para surf na prancha de Adriano de Souza, foto de Ideraldo Gomes, maio de 2011, licença Creative Commons
E no centro da cidade estão os livros do Real Gabinete Português, foto de Alexandre Macieira, Fotos Públicas (28 de fevereiro de 2015)
E no centro da cidade estão os livros do Real Gabinete Português, foto de Alexandre Macieira, Fotos Públicas (28 de fevereiro de 2015)
Música e sorrisos com pausa para brindar no click de  Gordon Shukwit
O Rio tem sempre música e sorrisos com pausa para brindar no click de Gordon Shukwit
Lugar de por do sol espetacular, Ipanema - Roberto Moretti, março de 2009, licença Creative Commons
Lugar de por do sol espetacular, Ipanema – Roberto Moretti, março de 2009, licença Creative Commons
O Rio também é a Cidade do Rock In Rio - e aqui o show é de Alicia Keys - Sebástian Freire, 15 de setembro de 2013, licença Creative Commons
O Rio também é a Cidade do Rock In Rio – e aqui o show é de Alicia Keys – Sebástian Freire, 15 de setembro de 2013, licença Creative Commons
Justin Timberlake no Rock In Rio de Sebástian Freire, 15 de setembro de 2013, licença Creative Commons
Justin Timberlake no Rock In Rio de Sebástian Freire, 15 de setembro de 2013, licença Creative Commons
E a mulata continua a tal no Carnaval do ano passado de Nicolas de Camaret, Marquês de Sapucaí, Licença Creative Commons
E a mulata continua a tal no Carnaval do ano passado de Nicolas de Camaret, Marquês de Sapucaí, Licença Creative Commons

E Rio de Janeiro é onde Freddie Mercury teve um dos melhores momentos de sua carreira, como ele declarou. Veja o video do cantor na apresentação do primeiro Rock in Rio, 1985. Imperdível “Love of My Life”! Se não viu, vai ver agora:

Pão de Açucar. Foto: Alexandre Macieira/ Riotur
Linhas que unem no Pão de Açúcar em foto de Alexandre Macieira, Riotur, Fotos Públicas
E as linhas de João Caldas na cidade vista de Niterói
E a cidade maravilhosa de João Caldas vista a partir de Niterói
Delicadeza na samambaia do Jardim Botânico de Jimmy Baikovicius, julho de 2013, licença Creative Commons
Delicadeza na samambaia do Jardim Botânico de Jimmy Baikovicius, julho de 2013, licença Creative Commons

* * * * * * * * * * *

Largo do Boticário, no Cosme Velho, por Fernando Frazão, Agência Brasil, Fotos Públicas (1 de março de 2015)
Largo do Boticário, no Cosme Velho, por Fernando Frazão, Agência Brasil, Fotos Públicas (1 de março de 2015)

João Caldas é paulistano, especializou-se em fotos de artes cênicas. Conheça mais do seu trabalho no livro “Teatros” neste link aqui;

 Silvestre Silva tem três livros publicados: “Árvores Nativas do Brasil Vol. 01″ neste link aqui e “Frutas Nativas do Brasil Vol. 1 e 2″neste link aqui  e “ Frutas da Amazônia Brasileira”, neste link aqui.

* * * * * * * * * * * * * * *

Comunidade da Rocinha, Tomaz Silva, Agência Brasil, Fotos Públicas (1 março 2015)
Comunidade da Rocinha, Tomaz Silva, Agência Brasil, Fotos Públicas (1 março 2015)

 vale mais fala de compras, prestação de serviços, música, cinema, gastronomia, comportamento & o que mais der na telha.

Grafites na avenida Jardim Botânico, Jimmy Baikovicius, julho de 2013, licença Creative Commons
Grafites na avenida Jardim Botânico, Jimmy Baikovicius, julho de 2013, licença Creative Commons

Economize e curta coisas boas.

♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Siga a gente nas redes sociais!

www.facebook.com/sigavalemais;

Instagram: @sigavalemais;Twitter: @sigavalemais.

Até logo mais!

Anúncios

Faça a guimba virar fogo

Coletor mais vendido da Bituca Verde, R$ 170
Coletor mais vendido da Bituca Verde, R$ 170

Quem fuma não tem mais desculpa para jogar a ponta de cigarro no chão. A Bituca Verde viu na lei anti-fumo uma oportunidade de negócios e também uma chance de ajudar a saúde do meio ambiente. A empresa produz e comercializa coletores especiais para o lixo de cigarros que já começam a se espalhar por aí.

Melhor ainda é saber que as milhares de guimbas retiradas desses recipientes transformam-se em material que substitui o carvão em fornos industriais. Guimba é fogo!

Jorge Barbosa, representante da empresa, conta que perto de 10 mil coletores já foram vendidos. Em várias versões, estão presentes em bares, restaurantes e já marcaram presença em uma das praias mais famosas do mundo, Copacabana, e na Oktoberfest. Alegria dos fumantes e não-fumantes!

Bitucas a torto e a direito
Bitucas a torto e a direito

As bituqueiras não são privilégio da Bituca Verde. Esse tipo de lixeira é feito por outras empresas e funcionam a todo vapor em São Paulo, no Rio de Janeiro e em outras cidades do país, conforme vale mais já mostrou no post “Grama, o fim das bitucas” _clique aqui para ler. Moral da história: todos querem uma calçada limpa, nénão?

Modelo próprio para paredes externas da Bituca Verde
Modelo próprio para paredes externas da Bituca Verde

Jorge explica todo o processo até a guimba acabar em fogo: depois de retiradas das bituqueiras em coletas especiais, são armazenadas em um recipiente com capacidade para 10 mil bitucas batizadas de “bombonas”.

Quando cheio, esse recipiente segue para uma empresa parceira, a  Renova Ambiental, que trabalha o lixo até que se transforme em uma massa flocada que poderá substituir o carvão vegetal. Ufa, menos desmatamento _a Natureza agradece!

O comprador da Bituca Verde entra em um programa especial no qual só precisa se preocupar em informar com antecedência o período para que a bomba seja coletada e substituída por uma vazia. Resumo da ópera: os gastos ficam com a aquisição do coletor de guimbas mais esses recipientes, que receberam o nome de PAB (R$ 60).

Os coletores da Bituca Verde vêm em várias versões e estão disponíveis para venda no site www.lojaonze.com.br.

A mais vendida tem formato de cigarro e é móvel _por R$ 170, você a leva prá lá e prá cá. Clique aqui para ver todas as versões disponíveis para comercialização.

Quem quiser aderir ao programa da Bituca Verde, entra no site www.bitucaverde.com.br para saber das regras e fone para contato.

Lixeiras especiais são uma solução esperta para o meio ambiente. A falta de consciência de muitos fumantes foi motivo para o artista de rua Piauí Ecologia criar uma obra somente com pontas de cigarro, exposta no vão livre do Masp, em São Paulo, conforme mostramos no post “Guimbas e cinzas” – clique aqui para ler.

Ah, mais uma: se não tiver uma bituqueira por perto, você pode carregar a sua no bolso. Ou bolsa.

Bituqueira de bolso, R$ 5 ou R$ 6
Bituqueira de bolso, R$ 5 ou R$ 6

Estas aqui são a versão da empresa. Mas tem várias outras por aí. Fácil fácil de ser encontrada em bancas de jornais e em tabacarias. Você poderá pagar R$ 5 ou R$ 6 ou algo nessa faixa.  Fumante elegante tem a sua!

Valorize seu dinheiro – curta vale mais nas redes sociais para receber nossos posts:

www.facebook.com/sigavalemais

Instagram: @sigavalemais

Twitter: @sigavalemais

Flickr: sigavalemais

Até logo e bom final de semana!

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços e ausência dos produtos citados na loja, site ou estoque das empresas. Preços de 21 de novembro de 2014.

Economize e coma bem levando marmita ao trabalho

Com os preços subindo, comer nos restaurantes perto do trabalho tem deixado muita gente com as carteiras mais vazias. Ou dor no estômago de preocupação. No final do mês, os gastos com a alimentação durante a jornada de trabalho estão maiores que o esperado _ou desejado.

Seleção de marmitas

A solução é levar a refeição de casa: além de economizar, é bem mais saudável.  Você mesmo prepara ou alguém da sua família _quem faz dieta ou controla a alimentação, que o diga!

Para que a comida chegue bem até o escritório, a marmita é o melhor veículo.

Prateleiras da Gigi Presentes, com marmitas a partir de R$ 15 e garrafas térmicas a partir de R$ 29
Prateleiras da Gigi Presentes, com marmitas a partir de R$ 15 e garrafas térmicas a partir de R$ 29

Com o avanço da tecnologia e novos materiais desenvolvidos pela indústria, as marmitas evoluíram e ganharam visual bem mais moderno e atraente.  Já tem gente dizendo que tem marmita gourmet, marmita fashion, marmita chic… Adjetivos e classificações têm de sobra.

Marmita em aço inox, compartimento com 3 divisórias e alça para travar
Marmita em aço inox com trava e compartimento

O fato é que uma boa parte delas é em metal. E  as melhores são em aço inoxidável. Potes ou recipientes que, combinados com resinas ou plásticos, mantêm a temperatura por mais tempo. Então, o arroz com feijão, dobradinha imbatível do prato do brasileiro, poderá estar ainda quentinho na hora do almoço.

Tem também recipientes de plásticos com fechamento com quatro abas e encaixe perfeito que garantem que nem mesmo líquidos escapem, para desgosto do feliz comprador.

Chamada Horizontal

Ah, as bolsas térmicas ajudam a manter a temperatura _quente ou fria. E agora ganharam cores, desenhos e dimensões bem atraentes. O neoprene, utilizado em roupas para surfistas, é outro material moderno que tem sido usado para fazer lancheiras modernas e bacanas. São sacolas para ninguém botar defeito. A marca Built é bem conhecida e está à venda em várias lojas, incluindo a Americanas.

Seleção com preços de hoje no site www.americanas.com
Seleção com preços de hoje no site www.americanas.com

As marmitas podem ser compradas em lojas online como a Americanas neste link aqui e neste outro aqui, Casa & Vídeo, Casas Bahia,  Extra,  Mobly neste link aqui e neste outro aqui, Ponto Frio,  Shoptime neste link aqui as marmitas e neste link aqui os potes retráteis, Submarino neste link aqui as marmitas e neste outro link os potes retráteisbag4fun.com.br,  baggystore.com.br e lojaisoprene.com.br, entre outras.

Clique e saiba mais:

Marmitas siliconadas – fácil de comprar online

Quem prefere ver e escolher com o produto nas mãos, o melhor lugar para se comprar marmitas em São Paulo é o bairro da Liberdade. Na rua Galvão Bueno, a Gigi Presentes, que simplesmente tem uma prateleira só com marmitas (de R$ 15 a R$ 59), e outra, com garrafas térmicas para viagem (R$ 29 a R$ 59).

Recipiente em formato quadrado, tamanho ideal para sanduíche, fechamento com 4 abas
Recipiente para sanduíche ou salada, R$ 10,40 na Marukai

No supermercado Marukai, na mesma rua, as melhores opções são os recipientes de plástico Biokips. Tem vários e vale mais recomenda três opções: com duas ou três divisões, mais um de formato quadrado, para caber exatamente um sanduíche bem recheado em pão de forma ou artesanal.

Marmita em aço inox e plástico com dois recipientes térmicos, colher e bolsa térmica, R$ 289
Marmita em aço inox e plástico com dois recipientes térmicos, colher e bolsa térmica, R$ 289

Marmita de aço inox com 2 compartimentos e alça colorida na PomonaNa loja Pomona, ainda na rua Galvão Bueno, você pode achar uma marmita cor de rosa com sacolinha estilo “fofa”, por R$ 55, a uma bem sofisticada, marca Tiger, com direito a sacola térmica e até colher. Preço: R$ 289. Tem tantas outras em aço inox a partir de R$ 45.

Marmita da Bento Store
Marmita da Bento Store

Para se ter uma ideia, São Paulo e Rio de Janeiro ganharam uma pequena rede de lojas dedicada às marmitas, a Bento Store. A empresa vende também online mas trabalha com produtos um pouco mais caros. O nome é inspirado no recipiente japonês bentô, que contém divisões para os alimentos.

Tem marmitas chics, fashion, do jeito que você quiser. A Lunchbox retangular cor de laranja, R$ 90. Você pode dar uma olhada por este link bentostore.com.br. Esta rede tem lojas no Rio de Janeiro.

⇒ Dicas para a compra: escolha material durável. Verifique o tamanho das bolsas e sacolas térmicas antes da compra para ter certeza que seus recipientes irão caber. Cheque as especificações do material para saber se podem ir ao forno microondas, elétrico, ou se podem aguentar banho-maria com água bem quente.

E para quem vai começar a levar marmita para o trabalho, dicas muito importantes do chef de cozinha Andre Boccato, marmiteiro confesso:

Evite folhas frescas, elas podem murchar, até estragar. Prepare tudo em pedaços pequenos ou em cubos. Usar faca com marmita dá um trabaaalhooo…

* leve uma porção de proteína cozida: carne, peixe ou frango, cortada em cubos

* uma porção de carboidrato, como arroz, batata, também em cubos, para acompanhar. ou massa

* salada ninguém dispensa _legumes de sua preferência, cozidos e cortados em pedaços pequenos.

**********************************

Endereços em São Paulo:

Pomona Shop: rua Galvão Bueno, 168, Liberdade, fone 11 3207-7268

Marukai: Galvão Bueno, 34, fone 11 3341-3350

Gigi Presentes: Galvão Bueno, 152, fone 11 3209-5183 

Bento Store: rua da Consolação, 3.344, fone 11 3085-0479

E você, já escolheu a sua? Conte prá gente.

Marmita estilo
Marmita estilo “fofa”, da Pomona

Siga vale mais para saber como economizar e valorizar seu dinheiro. Posts sobre comidas, vida saudável, com muitas fotos e serviço completo. Na segunda-feira, vamos falar do livro de receitas para marmitas que o chef Andre Boccato, marmiteiro confesso, vai lançar, com direito à receita.

Bom final de semana e até logo!

******

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços e/ou ausência dos produtos citados. Preços colhidos entre 9 e 14 de novembro de 2014.

Livro na rua: espalhe!

Hoje, 29 de outubro, é Dia do Livro e da 10ª edição do Literatura Espalhada, projeto da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo que vai distribuir 6 mil livros de ficção e paradidáticos a pessoas de baixa renda e moradores de rua.  A ideia é compartilhar livros e incentivar a leitura.

Os exemplares foram doados durante todo o ano. Entre os autores presentes nesta edição estão Jorge Amado, Graciliano Ramos e José de Alencar, entre outros.

O escritor Jorge Amado escrevendo "Tocaia" / foto Companhia Das Letras
O escritor Jorge Amado escrevendo “Tocaia” / foto Companhia Das Letras

Da sede da fundação _rua General Jardim, região central de  São Paulo_, estudantes saem até a Praça da República via Minhocão para distribuir os volumes.  A primeira turma começa a partir das 11h, e outra, à noite ,a partir das 19h.

“Os alunos saem carregando os livros e vão conversando sobre literatura com a população. Às vezes encontramos boas surpresas como pequenas bibliotecas guardadas em caixas entre moradores do Minhocão”, relata Eliana Asche, doutora em Educação (PUC-SP) e professora de literatura da fundação.

Literatura Espalhada em São Paulo

Literatura Espalhada, divulgação

Para receber o livro, a pessoa precisa se comprometer a passá-lo adiante após a leitura, diz a professora.  “Queremos dar oportunidade de as pessoas perderem o medo do livro”, complementa.

Eliana Asche também desenvolve salas de leitura em pontos estratégicos de São Paulo, como em presídios e ocupações.

Interessados em doar ao  Literatura Espalhada devem levar os livros na sede da fundação, rua General Jardim, 522, Vila Buarque, São Paulo, SP, e deixar com os funcionários da portaria. A professora Eliana pede que os doadores façam uma dedicatória ao futuro leitor.

De graça, na Internet
Machado de Assis aos 57 anos
Machado de Assis aos 57 anos

Para se ler um livro, não é preciso comprar ou emprestar em uma biblioteca pública. Na Internet há vários sites onde se pode baixar bons exemplares, de graça.

No site dominiopublico.gov.br, toda a obra de um dos maiores escritores brasileiros, Machado de Assis, está disponível para download, por exemplo.

Vá em www.dominiopublico.gov.br/download/texto/bn000167.pdf e baixe “Memórias Postumas de Brás Cubas”.

Quer poesia? Em www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ph000003.pdf, está o link para “Cancioneiro”, de Fernando Pessoa.

Boa leitura!

E se você sabe de sites com bons livros para serem baixados, espalhe aqui prá gente em sigavalemais.com.br.

Obrigada e até logo mais.//

Grama, o fim das bitucas

Pessoal da esquadrilha da fumaça, atenção!

A partir de agora as pontas de cigarros têm destino melhor que as calçadas que a gente pisa: as bituqueiras, que são nada mais nada menos que cinzeiros apropriados que começam a se espalhar por São Paulo e outras cidades do país.

Foto www.sigavalemais.com.br - Todos os direitos reservados

O Coletor Ambiental, como foi batizado pela empresa que o produz, já está funcionando em cerca de 3 mil pontos. A bituqueira da foto acima localiza-se na alameda Santos, São Paulo, bem em frente à entrada do Conjunto Nacional que tem a passarela que leva à Livraria Cultura.

Na avenida Paulista, por exemplo, há várias. É só prestar atenção que você vai dar de cara com uma. Úteis, as bituqueiras vieram como uma solução esperta e necessária para a saúde das cidades e do meio ambiente.

Como funciona

Quando a bituqueira fica cheia, ou com cerca de mil pontas de cigarros, um funcionário especializado da empresa Coletor Ambiental, que produz e vende essa solução, recolhe o conteúdo. As bitucas, então aos milhares, seguem para serem processadas e transformadas em uma massa pastosa composta por fertilizantes e sementes.

Misturada à terra, essa massa que contém as guimbas gera grama após 32 dias!

Várias empresas já aderiram às bituqueiras, um projeto da RDias Comunicação. Você poderá encontrá-las funcionando a todo vapor em portas de condomínios comerciais, entradas de shoppings, grandes restaurantes e até em paredes externas de agências bancárias. Bom para os funcionários, bom para os pedestres que circulam no pedaço.

Divulgação - Shopping-Center-Norte

Divulgação - Restaurante Le Fournil

Optar por uma bituqueira incluindo as coletas custa R$ 120 mensais. A coleta, explica a empresa, será feita regularmente e tão frequente quanto o necessário. Dependendo do número de bituqueiras encomendadas, o preço é negociado, afirma Van Borges, diretor operacional da Coletor Ambiental.

Bom e ecológico final para esse lixo. Para quem não sabe, os tocos de cigarros não são recicláveis. Podem demorar até quatro anos para se decomporem. Nas cidades, atrapalham o escoamento das águas da chuva. Poluem rios e mares _cerca de 40% de todo o lixo do Mar Mediterrâneo é formado por pontas e embalagens de cigarros.

Já viu uma bituqueira? Onde? Conte prá gente aqui em sigavalemais.com.br.

Não-fumantes e fumantes agradecem.