Arquivo da categoria: Vida saudável

ZIKA – Governo vai ampliar atendimento à crianças com microcefalia

Boa notícia para todas as famílias que têm bebês nascidos com microcefalia causada pelo vírus da Zika em grávidas. O Ministério da Saúde anunciou ontem que vai investir R$ 27 milhões para reforçar o atendimento e a rede de cuidado a essas crianças. Serão destinados cerca de R$ 2,2 mil de recursos para cada criança investigada. A ação visa promover ações de cuidado e organização de toda a rede assistencial para atender as diversas necessidades das crianças.

Cena de websérie do Ministério da Saúde sobre a microcefalia

Ricardo Barros, ministro da Saúde, explicou as ações do governo:

  • ampliar e qualificar os serviços na Atenção Básica, por meio dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs);
  • avaliar os 5,3 mil casos confirmados e em investigação em todo o país;
  • fortalecer as ações de vigilância.

Para quem está envolvido com famílias com bebês nessa situação, o governo preparou uma série de vídeos para a Internet com 16 episódios com histórias de pessoas impactadas pelos serviços oferecidos pelo SUS.

O primeiro é emocionante. Veja só:

Detalhes

Do total anunciado, R$ 15 milhões serão repassados para 4.143 equipes de Núcleo de Apoio à Saúde da Família que possuam profissionais de fisioterapia. Os valores serão destinados à aquisição de kits para reforçar a estimulação precoce, como colchonetes, bolas, brinquedos que estimulam os sentidos e a coordenação motora, trena antropométrica, martelo de reflexo, entre outros materiais. Esses são os serviços mais próximos das famílias.

Também para reforçar a continuidade da assistência às crianças vítimas da síndrome congênita associada ao Zika, o Ministério da Saúde repassará R$ 11,8 milhões aos Estados e municípios com o objetivo de fortalecer os serviços de avaliação, diagnóstico e acompanhamento dos 5,3 mil casos confirmados e em investigação neste momento.

Mosquito que transmite a Zika,  dengue e febre Chikungunya, Aedes aegypti, durante picada; foto Sanofi Pasteur, agosto de 2012

Atualmente, a rede de reabilitação em todo o país conta com 2.323 serviços de reabilitação e estimulação credenciados no SUS, com 190 Centros Especializados em Reabilitação (CERs), 33 Oficinas Ortopédicas, 238 serviços de reabilitação em modalidade única e 1.862 serviços de reabilitação credenciados pelos gestores locais.

Entre 2015 e 2017 foram registrados 14.577 casos e 883 óbitos causados pela síndrome. Em agosto deste ano, de acordo com o novo boletim epidemiológico, 20% dos casos foram confirmados, 21% permanecem em investigação e 44% foram descartados. Os casos de microcefalia vêm diminuindo desde maio de 2016.

MEDICAMENTO – No início de setembro, o Ministério da Saúde incorporou um novo e moderno medicamento para o controle de convulsões em pacientes com microcefalia decorrente de infecção pelo vírus Zika.  Estará disponível aos pacientes do SUS em até 180 dias.

vale mais publicou:

+ ZIKA – Cartilha ensina prevenção e cuidados com grávidas e recém-nascidos

+ ZIKA, DENGUE – Berço com mosquiteiro protege bebês e crianças

vale mais já abordou a importância da prevenção nestes posts:

+ ZIKA, DENGUE – Mosquiteiro garante sono protegido do Aedes aegypti

+ VÍRUS ZIKA, DENGUE – Ataque de repelente contra o Aedes aegypti

+ Helloou!! Saiba se prevenir contra a dengue

Saiba mais como se prevenir contra a Zika, dengue e outras doenças causadas pelo Aedes aegypti acompanhando o blog. Previna-se!

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções.
Anúncios

MUNDO MELHOR – Magazine lança camisetas próprias para reutilização

Novidade interessante chegando na área de roupas, moda. A C&A acaba de anunciar que vai vender camisetas próprias para serem reutilizadas.

Isso mesmo, nada de querer jogar no lixo quando não servirem mais. A partir de 1º de setembro, elas chegam em 29 lojas físicas e na loja online da rede com versões feminina e masculina, em seis cores cada.

Esta é a primeira “coleção circular” da C&A e foi desenvolvida globalmente. As peças foram desenhadas para que sejam recicladas ou reutilizadas, portanto, levando em conta seus usos futuros.

A nova linha de camisetas foi feita com 100% de algodão mais sustentável, usando apenas materiais seguros e confeccionadas de forma social e ambientalmente responsáveis, diz a empresa.

Além disso, em todas as etapas do processo produtivo houve reuso de água e foi utilizada energia renovável. As camisetas, item básico do guarda-roupa, representam um marco no caminho para um futuro mais sustentável. O Programa de Certificação de Produtos Cradle to Cradle concedeu nível “gold” agora produtos

Essa certificação é uma forma de avaliar se produtos e materiais são seguros para a saúde humana e para o meio ambiente.

PhotoGrid_1503177818647

“Conseguimos trazer em primeira mão para as clientes brasileiras, um produto absolutamente inovador, reciclável e resultado de muitas pesquisas e novos processos”, diz o presidente da C&A Brasil, Paulo Correa. (Fotógrafo – Hick Duarte)

MAIOR LIMPEZA – ‘Número 2’ sem vergonha

O tempo passa e cada vez mais surge no mercado uma novidade inesperada. Estes dias vi em uma farmácia um produto totalmente surpreendente: o FreeCô. Na caixinha onde ele se destaca sobre o balcão, o recado é direto: “Nº 2 sem medo e sem cheiro”.

Oi???

FreeCô, novidade que promete não deixar pistas que o banheiro foi usado para o “número 2”, R$ 21,90 na Drogaria São Paulo, aqui, R$ 16,42 no Walmart, aqui
Tecnicamente, vamos dizer assim, trata-se de um líquido bloqueador de odores sanitários em frasco com spray. Ensina o fabricante que é preciso borrifar cinco vezes o produto na água do vaso sanitário para que se anule o mau cheiro que pode constranger homens, mulheres e crianças.

Assim, como num passe de mágica? Não não. Trata-se de uma mistura de óleos descritos no rótulo (Citrus Aurantium Dulcis Peel Oil Expressed, Eugenia Caryophyllus Leaf Oil, Cinnamomum Cassia Oil, mais Polysorbate 80, álcool e água – ou óleos essenciais de laranja doce, folha de cravo e canela aromática) –  que criam uma película protetora na superfície da água, explica o fabricante. Esta película, acrescenta, “neutraliza o mau cheiro antes mesmo de ser percebido”.

FreeCô em várias versões com preços a partir de R$ 19,90, na Netfarma, aqui
O bloqueador de odores sanitários tem duas versões, a original, com essência de capim-limão, e especiarias, que leva essência de cravo e canela.  A embalagem que encontrei na Drogaria São Paulo e na Drogasil é a de 60 ml, que promete 100 usos. Entre outras, uma versão com 15 ml, para carregar na bolsa e até dentro de uma pasta escolar ou necessaire.

Então, novidade das boas… Quem não quer fazer o “número 2” sem deixar rastros? Pode ser bom no ambiente de trabalho, na escola, no bar, restaurante, no metrô, no shopping, na casa dos amigos, de parentes, na república de estudantes, na balada. Ou em casa mesmo.

Na Drogasil, o FreeCô fica na ponta da gôndola, R$ 21,90

A empresa acrescenta que o produto ajuda a “eliminar um dos principais motivos de bullying, constrangimentos e humilhações no trabalho, na escola, em casa, nos relacionamentos afetivos ou entre os amigos”. Pode ser.

E para quem ainda está pasmo, no site da empresa, vergonha nenhuma pra explicar o produto. Até desenho tem, caso demore pra cair a ficha.

 Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲.
Salve o número
011 9 9985-3577 e
envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto!

Onde comprar o FreeCô:

Drogaria São Paulo – Drogarias Pacheco – Netfarma –  Walmart

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções; links rompidos ou inexistentes; informações enviadas com incorreções. Imagens dos sites das empresas citadas. Preços de 10 de agosto de 2017.

BOA NOTÍCIA – Meninos de 11 a 15 anos incompletos podem se vacinar gratuitamente contra HPV

Boa notícia: a partir de agora, a vacina contra HPV passa a ser ofertada para pré-adolescentes e adolescentes do sexo masculino de 11 até 15 anos incompletos (14 anos, 11 meses e 29 dias). Também terão direito homens e mulheres transplantados e oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia. Além disso, cerca 200 mil crianças e jovens, de ambos os sexos, de 9 a 26 anos vivendo com HIV/aids, também podem se vacinar contra HPV. O anúncio das mudanças foi feito ontem pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Meninos entre 11 e 15 anos incompletos podem se vacinar contra HPV (Foto Agência Brasil)

A ampliação da faixa etária na população masculina pelo Ministério da Saúde já foi comunicada às secretarias estaduais de saúde de todo o país. Tem como objetivo proteger mais cerca de 3,3 milhões de adolescentes.

 Vem curtir vale mais no Facebook para ficar sempre atualizado!

A vacina contra o HPV para os meninos passou a ser disponibilizada no SUS em janeiro deste ano para meninos de 12 até 13 anos. Até o ano passado, era feita apenas em meninas.

O Ministério da Saúde informa que a meta para 2017 é vacinar 80% dos 7,1 milhões de meninos de 11 a 15 anos e 4,3 milhões de meninas de 9 a 15 anos.

O ministro afirmou que uma das principais ações para alcançar essa meta é o Programa Saúde na Escola, parceria do Ministério da Saúde com o Ministério da Educação. “É um de nossos grandes aliados nessa frente. Com esse projeto, estamos convocando toda a comunidade escolar, pais e educadores, a atualizarem as cadernetas de vacinação destes jovens”, afirmou o ministro.

Os efeitos da vacina contra HPV em anúncio do Ministério da Saúde

Como exemplo bem sucedido desta iniciativa, o ministro citou o Estado de Santa Catarina e o município de Niterói que conseguiram, por meio de uma ampla mobilização nas escolares, ampliarem as coberturas vacinais contra o HPV.

Para conscientizar os meninos na busca da vacina, o Ministério da Saúde planeja, para o próximo mês de julho, período de férias escolares, campanha direcionada a este público, com o intuito de aumentar a cobertura nessa população. Além disso, a vacina de HPV também fará parte do elenco de vacinas a serem ofertadas na Campanha de multivacinação que acontecerá no período de 11 a 22 de setembro. O Dia D da campanha de vacinação será dia 16 de setembro.

Esquema da vacina contra HPV – Meninos e meninas devem tomar duas doses da vacina HPV com intervalo de seis meses entre elas. Para as pessoas que vivem com HIV, a faixa etária é mais ampla (9 a 26 anos) e o esquema vacinal é de três doses (intervalo de 0, 2 e 6 meses). No caso dos portadores de HIV, é necessário apresentar prescrição médica.

Anúncio do governo federal da ampliação da faixa etária da vacinação contra HPV

A vacina disponibilizada no SUS é a quadrivalente e já é ofertada, desde 2014, para as meninas. Confere proteção contra quatro subtipos do vírus HPV (6, 11, 16 e 18), com 98% de eficácia para quem segue corretamente o esquema vacinal.

Para os meninos, a estratégia tem como objetivo proteger contra os cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV. A definição da faixa etária para a vacinação visa proteger meninos e meninas antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus. Vale ressaltar que os cânceres de garganta e de boca são o 6º tipo de câncer no mundo, com 400 mil casos ao ano e 230 mil mortes. Além disso, mais de 90% dos casos de câncer anal e orofaringe são atribuíveis à infecção pelo HPV.

Nas meninas, o principal foco da vacinação é proteger contra o câncer de colo do útero, vulva, vaginal e anal; lesões pré-cancerosas; verrugas genitais e infecções causadas pelo vírus. O HPV é transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto.

Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲.
Salve o número 011 9 9985-3577 e envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto! 
➡  GRIPE H1N1 2017 – Sintomas e prevenção em 16 perguntas e respostas

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções. Com Ministério da Saúde e Agência Brasil.

LIBEROU GERAL – Vacina contra gripe de graça para todos a partir de segunda

Ótima notícia: qualquer pessoa poderá se vacinar contra gripe pelo SUS _de graça, é claro_ a partir de segunda-feira (5 de junho) na campanha deste ano, informa o Ministério da Saúde. A campanha está prevista para se encerrar no próximo dia 9 (sábado).

Vacina contra gripe sendo aplicada na campanha do ano passado, em São Paulo, foto Eduardo Saraiva, governo do Estado de São Paulo

O governo federal decidiu disponibilizar a vacina contra gripe a toda a população enquanto durarem os estoques _e há cerca de 10 milhões de doses. Até hoje, sexta-feira (2 de junho), 41,3 milhões de pessoas do público-alvo foram imunizados.

 Vem curtir vale mais no Facebook para ficar sempre atualizado!

E para compartilhar a boa notícia no WhatsApp, Messenger, Telegram, Facebook, Twitter e email, pode baixar esta imagem abaixo:

O Amapá é o único estado que atingiu a meta até este momento, com 95,6% do público-alvo vacinado. A campanha foi prorrogada até o dia 9 de junho com o intuito de alcançar a meta de vacinação que, neste ano, é de 90%.

Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲.
Salve o número 011 9 9985-3577 e
envie a frase Eu Quero no WhatsApp. Pronto! 
➡  GRIPE H1N1 2017 – Sintomas e prevenção em 16 perguntas e respostas

O ministro da saúde, Ricardo Barros, disse que houve poucos casos de influenza neste ano devido à baixa circulação do vírus. O governo comprou 60 milhões de doses mas houve pouca procura nos postos de saúde. “Para que não haja desperdício, já que estas vacinas só valem por um ano, decidimos estender a todas as faixas etárias, enquanto durarem os estoques”, destacou.

Como o organismo leva, em média, de duas a três semanas para criar os anticorpos que geram proteção contra a gripe após a vacinação, o ideal é realizar a imunização antes do início do inverno. O período de maior circulação da gripe vai do final de maio até agosto.

A transmissão dos vírus da gripe ou influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

À população em geral, o Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar; evitar tocar o rosto; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções. Com Ministério da Saúde.

GRIPE H1N1 2017 – Sintomas e prevenção em 16 perguntas e respostas

O outono já está marcado por temperaturas mais baixas em parte do país e muita gente já começa a contrair gripe. E você, já sabe sobre a doença que pode afetar milhares de pessoas principalmente no outono e inverno? Sabe qual a diferença entre gripe e resfriado? O que fazer na gravidez? E o H1N1? Sabe como se proteger desse terrível vírus que pode até levar à morte?

➡ FEBRE AMARELA – Vacina é liberada para todas as cidades do Rio de Janeiro
➡  Vem curtir vale mais no Facebook para ficar sempre atualizado!
Vírus H1N1 em ilustração de vídeo da OMS
➡  LIBEROU GERAL – Vacina contra gripe de graça para todos a partir de segunda, 5 de junho

O ministério da Saúde preparou estas perguntas e respostas e enviou aqui para o blog vale mais, atualizadas para 2017. Vamos checar questões importantes e ter mais informação sobre a doença que é típica desta época do ano?

1 – O que é gripe ou influenza sazonal?
A influenza, também conhecida como gripe, é uma infecção do sistema respiratório cuja principal complicação são as pneumonias, responsáveis por um grande número de internações hospitalares no país.

 GRIPE H1N1 2017 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para WhatsApp

2 – Qual o microrganismo envolvido?
É o vírus influenza. Existem três (3) tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias.
Os vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A (H1N1)pdm09 e A (H3N2) circulam atualmente em humanos.

3 – Quais os sintomas?
A gripe ou influenza sazonal inicia-se em geral com febre alta, seguida de:

  • dor muscular
  • dor de garganta
  • dor de cabeça
  • coriza
  • tosse seca.

A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios, como tosse, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado. 

4 – Como se transmite?
A influenza pode ser transmitida de forma direta por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar, ou por meio indireto pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem carrear o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos. Não há diferença de transmissão entre os tipos de influenza sazonal.

5 – Por quanto tempo os vírus influenza podem permanecer em uma superfície?
Sabemos que alguns vírus ou bactérias vivem por duas a oito (2 a 8) horas em superfícies. Lavar as mãos com frequência ajuda a reduzir as chances de se contaminar a partir dessas superfícies.

6 – Como tratar?
O tratamento dos sintomas da influenza sem complicações deve ser realizado com medicação sintomática, hidratação, antitérmico, alimentação leve e repouso. Nos casos com complicações graves, são necessárias medidas de suporte intensivo.

Atualmente, o medicamento antiviral fosfato de oseltamivir é indicado para o tratamento. Os medicamentos devem ser prescritos pelos profissionais médicos aos pacientes que apresentem condições e fatores de risco a complicações por influenza (gripe) e aos casos em que a doença já se agravou. Em caso de complicações, o tratamento será específico. É fundamental procurar atendimento nas unidades de saúde para que haja identificação precoce de risco de agravamento da doença.

7 – O que é resfriado?
O resfriado também é uma doença respiratória frequentemente confundida com a gripe, mas é causado por vírus diferentes. Os vírus mais comuns associados ao resfriado são os rinovírus, os vírus parainfluenza e o vírus sincicial respiratório (RSV), que geralmente acometem as crianças. Os sintomas do resfriado, apesar de parecidos com os da gripe, são mais brandos e duram menos tempo, entre dois e quatro dias.

Os sintomas incluem:

  • tosse
  • congestão nasal
  • coriza
  • dor no corpo
  • dor de garganta leve.

A ocorrência de febre é menos comum e, quando presente, é em temperaturas baixas. As medidas preventivas utilizadas para evitar a gripe, como a etiqueta respiratória, também devem ser adotadas para prevenir os resfriados.
Outra doença que também tem sintomas parecidos e que pode ser confundida com a gripe, é a rinite alérgica. Os principais sintomas são espirros, coriza, congestão nasal e irritação na garganta. A rinite alérgica não é uma doença transmissível e sim crônica, provocada pelo contato com agentes alergênicos (substâncias que causam alergia), como poeira, pelos de animais, poluição, mofo e alguns alimentos.

Usar lenço descartável ajuda a prevenir contra a gripe H1N1

8 – Como se prevenir da influenza?
Para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, como as do vírus influenza, orienta-se que sejam adotadas medidas gerais de prevenção, chamadas de “etiqueta respiratória”, tais como:

  • Lavar e higienizar as mão com frequência, principalmente antes de consumir alimentos;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

9 – O que as pessoas que apresentam sintomas de gripe devem fazer?

  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas);
  • Restringir ambiente de trabalho para evitar disseminação;
  • Evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados;
  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

10 – Quais são os sintomas que indicam que a pessoa deve procurar imediatamente um serviço de saúde?

  • dificuldade para respirar
  • lábios com coloração azulada ou roxeada
  • dor ou pressão abdominal ou no peito
  • tontura ou vertigem
  • vômito persistente
  • convulsão.

11 – Quais os cuidados que devem ser tomados em creches?
A aglomeração de crianças em creches facilita a transmissão de influenza entre crianças susceptíveis. A melhor maneira de proteger as crianças contra influenza sazonal e potenciais complicações graves é a vacinação anual contra influenza, que é recomendada a partir de 6 meses até 5 anos.

  • Além da adoção das medidas gerais de prevenção e “etiqueta respiratória”, os cuidadores e crianças lotadas em creches devem realizar a higienização do brinquedos com água e sabão quando estiverem sujos.
  • Deve-se utilizar lenço descartável para limpeza das secreções nasais e orais das crianças. Lenços ou fralda de pano, caso sejam utilizados, devem ser trocados diariamente.
  • Deve-se lavar as mãos após contato com secreções nasais e orais das crianças, principalmente, quando ela estiver com suspeita de síndrome gripal.
  • Cuidadores devem observar se há crianças com tosse, febre e dor de garganta e informar aos pais quando apresentarem os sintomas de síndrome gripal.
  • Devem, também, notificar a secretaria municipal de saúde, caso observem um aumento do número de crianças doentes com síndrome gripal ou com absenteísmo pela mesma causa na creche;
  • O contato da criança doente com as outras deve ser evitado.
  • Recomenda-se que a criança doente fique em casa, a fim de evitar transmissão da doença.
  • Recomenda-se que a criança doente permaneça em casa por pelo menos 24 horas após o desaparecimento, sem utilização de medicamento, da febre.

12 – Quais os cuidados a serem tomados com gestantes, puérperas e recém-nascidos?
Influenza causa mais doenças graves em gestantes que em mulheres não grávidas. Mudanças no sistema imunológico, circulatório e pulmonar durante a gravidez faz com que as gestantes sejam mais propensas a complicações graves por influenza, assim como hospitalização e óbito. As gestantes com influenza também têm maiores chances de complicações da gravidez, incluindo trabalho de parto e parto prematuros.

13 – A vacinação contra influenza durante a gravidez protege a gestante, o feto e até o bebê recém-nascido até os 6 meses?

  • As gestantes devem buscar o serviço de saúde, caso apresente sintomas de síndrome gripal;
  • Durante internação e trabalho de parto, se a mulher estiver com diagnóstico de Influenza, deve-se priorizar o isolamento;
  • Se a mãe estiver doente, deve realizar medidas preventivas e de etiqueta respiratória, como a constante lavagem das mãos, principalmente para evitar transmissão para o recém-nascido;
  • A parturiente deve evitar tossir ou espirrar próximo ao bebê. O bebê pode ficar em isolamento com a mãe (evitando-se berçários).
Vacina contra gripe da campanha de vacinação do Ministério da Saúde

14 – Qual a vacina ofertada no SUS?
A vacina influenza ofertada no SUS é recomendada pela OMS, Organização Mundial da Saúde, e produzida no Brasil pelo Instituto Butatan em parceria com o laboratório privado Sanofi Pasteur. A vacina da campanha de 2017 é trivalente e protege contra os tipos de vírus A (H1N1), A(H3N2) e Influenza B, que são os de maior importância epidemiológica, de acordo com a própria OMS.

A vacina é ofertada, anualmente, durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza com o objetivo de reduzir as complicações e as internações decorrentes das infecções causadas pelos vírus, nos grupos prioritários para vacinação.

Pessoas com mais de 60 anos têm direito a tomar vacina gratuitamente no SUS

15 – Qual o público alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra influenza de 2017?

  • Pessoas com 60 anos ou mais de idade;
  • Crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes;
  • Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto);
  • Trabalhadores da saúde;
  • Povos indígenas;
  • Pessoas com comorbidade, doenças crônicas e outras condições clínicas especiais;
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Professores de escolas públicas e privadas.

Este público alvo representará aproximadamente 54 milhões de pessoas. A meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

16 – Por que a campanha de vacinação é realizada anualmente e, geralmente, nos meses de abril e maio?
A influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente no outono e no inverno, quando as temperaturas caem, principalmente no Sul e Sudeste do Brasil.
A vacina é capaz de promover imunidade durante o período de maior circulação dos vírus influenza reduzindo o agravamento da doença.
No geral, a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação e, em média, confere proteção de 6 a 12 meses, sendo que o pico máximo de anticorpos ocorre após 4 a 6 semanas da vacinação.
Por esse motivo, a vacinação é anual e busca proteger a população alvo da campanha contra as cepas que mais circularam no hemisfério sul, no ano anterior.

GRIPE H1N1 – Vacinação gratuita começa dia 17 em todo o país

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

 

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações que chegam ao blog com incorreções.Informações oficiais do Ministério da Saúde enviadas ao blog em 3 de maio de 2017.

GRIPE H1N1 2017 – Portadores de doenças crônicas e comorbidades já podem se vacinar gratuitamente

Desde ontem, pacientes com comorbidades (associação de duas ou mais patologias em uma pessoa) e doenças crônicas passaram a ter prioridade para serem vacinados contra a gripe na campanha de vacinação do Ministério da Saúde 2017.

GRIPE H1N1 2017 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para WhatsApp

Vacina contra gripe da campanha do Ministério da Saúde sendo preparada para aplicação no Rio de Janeiro, foto de Tânia Rego, Agência Brasil

Em informe publicado ontem, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo explica que a campanha deste ano foi feita por etapas porque o Ministério da Saúde, responsável pela distribuição das vacinas, está encaminhando-as aos estados de forma gradativa.

FEBRE AMARELA – Saiba os sintomas e como se prevenir

Isso não quer dizer que as pessoas enquadradas nas etapas anteriores e que ainda não foram vacinadas estejam impedidas de se vacinar. As doses continuam à disposição, respeitando a data de início para cada grupo.

Etapas
A campanha teve início no 10 de abril com a imunização de servidores da saúde dos hospitais. Na segunda etapa, iniciada dia 17, foram vacinados pessoas a partir dos 60 anos de idade e os servidores públicos e privados ligados ao setor da saúde.

Agenda da campanha de vacinação contra gripe em São Paulo

A quinta etapa começa no próximo dia 8 de maio, para professores da rede pública e privada e todos os outros grupos anteriores. O dia 13 de maio será o Dia “D” da campanha.

A meta da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo é imunizar, até 26 de maio, 10 milhões de pessoas, o que corresponde a 80% do total de 12,6 milhões que formam o público-alvo da campanha. As vacinas estão à disposição em mais de 4 mil postos de saúde distribuídos pelo Estado de São Paulo – consulte aqui, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Vacina contra gripe com cepas de vírus para a campanha de vacinação 2017

A vacina, produzida pelo Instituto Butantan, protege contra a gripe A H1N1, e gripes típicas do inverno causadas pelos vírus A/Hong Kong (H3N2) e B/Brisbane.

Cronograma da campanha:
1ª Etapa: a partir de 10 de abril: trabalhadores da saúde em hospitais.
2ª Etapa: a partir de 17 de abril: trabalhadores da saúde de serviços de saúde públicos e privados.
3ª Etapa: a partir de 24 de abril: gestantes, puérperas, crianças com pelo menos 6 meses e até 5 anos de idade e indígenas.
4ª Etapa: a partir de 2 de maio, pacientes com comorbidades e doenças crônicas.
5ª Etapa: a partir de 8 de maio: professores da rede pública e privada e todos os outros grupos anteriores.
13 de maio: Dia “D”.

Para compartilhar as doenças crônicas previstas na campanha, no ➡ computador: baixe as 10 imagens e espalhe como quiser; no ➡ celular: clique nas imagens rapidamente para ver todas; segure o dedo nas escolhidas, segure, salve e envie como preferir; ou clique no botão de compartilhamento de cada uma delas e escolha as redes sociais que quer enviar.

➡ Quem já está cadastrado em programas de controle do SUS, Sistema Único de Saúde, deve ir aos postos que são registrados para receberem a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

➡ Os portadores destas doenças crônicas que não estão cadastrados no SUS devem apresentar prescrição médica na hora de se vacinar.

➡ GRIPE H1N1 – Vacinação gratuita começa dia 17 em todo o país

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

A vacina contra gripe é contra-indicada para pessoas com alergia a ovo.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações que chegam ao blog com incorreções.Informações oficiais do site da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e da EBC.