Arquivo da tag: alimentos in natura

BARATO E SAUDÁVEL – Marmita elétrica com preço quente: R$ 74,90

Na onda de economizar sempre e comer bem ao mesmo tempo, a marmita elétrica parece ser ideal _principalmente se for comprada em modelo com saladeira e preço de R$ 74,99.

Marmita elétrica light e saladeira Marmi Quent com aquecimento a vapor bivolt, R$ 74,90 na Americanas, aqui, e no Ponto Frio, aqui

Além de você não gastar em restaurantes a quilo perto do trabalho, come os pratos preparados em casa, o que permite balancear e optar por uma refeição saudável.

Dei uma busca e vi que a Marmi Quent com saladeira e bivolt, uma das boas opções que pode se encontrar online, está com um preço tentador em várias lojas online.

O mais baixo em vários sites é de R$ 74,90, que pode ser achado no Ponto Frio, Americanas, Shoptime e outras redes, oferecido por duas lojas, a Utensil e a Shopzoom.

Existem outros vendedores dentro do site, é só prestar atenção na hora de checar o preço e as características do produto.

Para se fazer uma boa compra, o valor a ser considerado não fica apenas no preço do produto. Deve incluir o valor do frete. Em geral, redes menores ou lojas menores cobram valores maiores.

No site Americanas, o próprio sistema já informa os valores para cada parceiro: hoje, escolhi aleatoriamente o CEP 03307-005, que fica no bairro do Tatuapé, em São Paulo, os valores variam de R$ 9,47 (empresa OList) a R$ 17,33 (empresa Martex), que é quase o dobro! Neste caso, apesar de o frete da OList ser o menor, o valor da marmita é bem maior e na soma, ainda ganha o Shopzoom.

Logo cortadoReceba vale mais  direto no celular 📲. Salve o número 011 9 9985-3577 com o nome vale mais. Mande uma mensagem com a frase Eu quero no WhatsApp. Pronto! Clique aqui e saiba mais.

Então, celular na mão com a calculadora na tela, moçada! E preste muita atenção aos prazos de entrega, podem variam bastante. Quem mora no Rio de Janeiro pode contar com a retirada em loja da Casa & Video.

A Casa & Video oferece a opção de retirar a Marmi Quent (sem a saladeira) em loja, aqui
A empresa oferece em seu site um outro modelo Marmi Quente, sem a saladeira, por R$ 84,99.

Ao optar por retirar em loja, o sistema coloca o mapa com a localização das lojas, endereços e horários de funcionamento

Ao optar por pegar a compra na loja, o sistema já mostra as lojas da rede. Uma boa opção para se escapar do frete.

Para saber mais:  Tudo sobre marmitas

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções. Imagens dos sites das empresas citadas. Preços pesquisados em 3 de julho de 2017 não incluem frete.
Anúncios

VIDA SAUDÁVEL – Novo supermercado dedica-se a orgânicos  🍆 🌱 🍞 🍺 💄

Bairro conhecido por seus bares, restaurantes naturais, vegetarianos, livrarias, lojas e cafés descolados, a Vila Madalena ganha um novo ponto que promete chamar a atenção de seus moradores. A Casa Orgânica, que acaba de abrir com o objetivo de ser conhecido como um supermercado orgânico.

Casa Orgânica, em São Paulo, promete ser o primeiro supermercado de alimentos e produtos sem aditivos ou fertilizantes

Situado no coração da vila, na rua Fidalga, o super foi inaugurado sábado passado ainda incompleto. “Não dava mais para segurar”, diz Alessandro Duarte, que, ao lado da mulher, Naila Duarte,  comanda o super.

Alimentos in natura chamam a atenção nas bancas

Vale ressaltar que o novo ponto de orgânicos de São Paulo incentiva o consumo consciente _conforme diz em seu site.

Produtos orgânicos para animais domésticos estão entre as novidades

E localiza-se estrategicamente a cerca de 300 metros do Instituto Chão, inaugurado há praticamente dois anos,  também dedicado a orgânicos e que propaga a economia solidária (saiba mais no link abaixo).

≡ SAUDÁVEL E ECONÔMICO – Orgânicos  🍆 🍄 🐔 🌱 🍞 a preço de banana

Três tipos de feijão à venda na Casa Orgânica

Arquiteto, ele mesmo fez o projeto do supermercado, que tem caixas de madeira para acondicionar alimentos utilizadas como armários abertos, além de tomarem o lugar de lustres pendentes do teto.

Caixas para acondicionar alimentos no lugar de lustres

A Casa Orgânica tem hortifrútis, grãos como feijão a granel, além de alimentos processados ou minimamente processados. Com ou sem lactose, glúten, açúcar e produtos sem origem animal para contentar qualquer vegano.

Não faltam produtos de higiene e limpeza e até lingerie em algodão 100% orgânico, mais perfumaria.

Lingerie 100% algodão orgânico

As prateleiras também têm uma área dedicada a produtos para pets _opa, esta parte é beeeem nova!

Logo cortadoReceba as boas notícias de vale mais direto no celular. Envie uma mensagem para 011 9 9985-3577 e pronto! Clique aqui e saiba mais

As estantes também guardam sucos, bebidas e até maquiagem orgânica.

Muitos maços de cheiro verde para temperar o ambiente

Alessandro conta que nos fundos da loja haverá um café e uma padaria. Na parte intermediária, quase 10 estandes ou bancas que serão locadas para quem quiser vender _orgânicos, claro.

Dessa forma, o jovem casal que também mora na Vila Madalena pretende realmente oferecer um número bem grande de orgânicos.

E vamos ao que interessa: preços!

  • Tomate: R$  7,99
  • Feijão carioca : R$ 15,99
  • Maço de cheiro verde ou salsinha: R$ 4,70
  • Repolho roxi, R$ 19,90 o quilo
  • Chá de capim cidreira: R$ 5,75
  • Maçã nacional: R$ 15,90 o quilo
  • Abacate, R$ 25,60 o quilo
  • Melão verde, R$ 7,99 o quilo
  • Suco funcional Manti Bio, R$ 450 ml, R$ 15,90
  • Abacaxi, R$12,80 o quilo
  • Manga, R$ 10,08 o quilo
  • Abóbora cabotiã, R$ 6,40 o quilo
Bolos, pães e outras delícias orgânicas

O supermercado tem corredores largos e carrinhos sustentáveis, resultado de uma procura dedicada a empresas que procuram utilizar materiais menos agressivos ao meio ambiente.

 Casa Orgânica:
Rua Fidalga, 346, Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, SP. Fone (11) 9- 9890-8590 (WhatsApp) e 3813-0800.
🕣 Aberto de segunda à sexta, das 11h às 19h e aos sábados, das 9h às 15h.

 vale mais

Casa Orgânica, novo supermercado orgânico de São Paulo

 Para quem quer curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções. Preços de 16 e março de 2017. Fotos do blog.

ECONÔMICO E SAUDÁVEL – 7 novas marmitas coloridas e práticas

Olha aí, moçada que carrega o almoço para o escritório e todos que fazem questão de chegar para o treino depois de um lanche in natura com frutas e legumes escolhidos a dedo! Tem novas marmitas chegando no pedaço!

Americanas, Submarino, Posthaus, Extra, Walmart e outras grandes redes com sites estão com novidades bem bacanas que garantem economia e alimentação saudável.

Marmita Lunch Box Azul - Euro Home, R$ R$ 24,99 na Shoptime, aqui, e na Submarino, aqui
Marmita Lunch Box Azul – Euro Home, R$ R$ 24,99 na Shoptime, aqui, e na Submarino, aqui

A marmita tornou-se uma utilidade no trabalho e na academia _e para quem faz

Pote Lancheira Sanduba Picnic Coza, na Submarino, R$ 15,99, aqui
Pote Lancheira Sanduba Picnic Coza, na Submarino, R$ 15,99, aqui

reeducação alimentar, dieta ou controla as refeições com maior rigor. Os novos modelos disponíveis para compra online são coloridos e bem práticos de usar.

Um dos modelos que mais chamam a atenção reúne resina e aço inox. No site Submarino e no Shoptime, tem uma modelo bem bacana da Euro Home. Custa R$ 24,99 e está disponível em várias cores. A marmita mede 16 x 46 x 32 cm e é redonda, com a parte interna em aço inox.

Na Americanas, R$ 54,90, aqui
Na Americanas, R$ 54,90, aqui

Na Americanas, por R$ 54,90,  a marmita com lancheira térmica Pólimes Power Pack Preto – TV06 tem 3 divisões e as instruções informam que é possível colocar água quente e deixar agir por 5 minutos.

Se for utilizar no microondas, não pode colocar a tampa junto para aquecer _consta nas instruções.

Marmita com Lancheira Térmica Pólimes Style C Azul - TV10C, R$ 68,75, na Americanas, aqui
Marmita com Lancheira Térmica Pólimes Style C Azul – TV10C, R$ 68,75, na Americanas, aqui

A marmita com lancheira térmica Pólimes Style C Azul – TV10C, por R$ 68,75, tem as mesmas características mas é maior.

Logo cortadoReceba vale mais  direto no celular 📲. Salve o número
011 9 9985-3577 com o nome vale mais. Mande uma mensagem
com a frase Eu quero no WhatsApp.
 Pronto! Clique aqui e saiba mais.

R$ 34,99 na Havan, Marmita Picnic Coza, aqui
R$ 34,99 na Havan, Marmita Picnic Coza, aqui
Na Havan, por R$ 34,99, um charme da Coza para carregar lanche ou snacks, frutas _tamanho para uma refeição intermediária.

R$ 39,99, na Posthaus, marmita Casa & Lazer, aqui
R$ 39,99, na Posthaus, marmita Casa & Lazer, aqui
Por R$ 39,99, uma marmita térmica com capacidades para 1,6 litro e com divisões na cor cinza para todos que preferem ser discretos na Posthaus, aqui.

Nas Casas Bahia, o Termoprato Plus 1,5 Litros Soprano Marmita Térmica Com Alça Vermelho, R$ 39,99, aqui.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

termoprato-plus-15-litros-soprano-marmita-termica-com-alca-vermelho-r-3999-nas-casas-bahia-aqui
Termoprato com alça, R$ 39,99 nas Casas Bahia, aqui
 vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções. Imagens dos sites das empresas citadas. Preços pesquisados em 10 de abril de 2016 não incluem frete.

SAUDÁVEL E ECONÔMICO – Orgânicos  🍆 🍄 🐔 🌱 🍞 a preço de banana

Todo santo dia de manhã a gente se levanta pensando no que comprar para almoço, jantar e refeições intermediárias. Com prioridade aos alimentos saudáveis in natura e… orgânicos, se possível! Em São Paulo, o Instituto Chão pode te ajudar nessa tarefa. Além de oferecer verduras, legumes, frutas, cogumelos, laticínios, e até café espresso sem agrotóxicos ou outros produtos químicos, os preços são mais baixos que em outros centros de compra de orgânicos.

Frutas, verduras, legumes, polpas, tudo orgânico e com preços do produtor, no Instituto Chão, em São Paulo
Frutas, verduras, legumes, polpas, tudo orgânico e com preços do produtor, no Instituto Chão, em São Paulo

Isso é possível porque o instituto nasceu com a ideia de vender ao consumidor final (nós) com os mesmos preços cobrados pelos produtores, sem obtenção de lucro.

Como é que é?

Verduras, legumes, ponto forte e altamente disputado na feirinha do Instituto Chão
Verduras, legumes, ponto forte e altamente disputado na feirinha do Instituto Chão

Isso mesmo. Esse comércio, combinação de feira, empório e café situado em um sobrado na rua Harmonia, no coração da Vila Madalena, em São Paulo, quer incentivar a economiza solidária e experimentar novas formas de relação.

Queijos de muitos tipos, orgânicos, claro, muito bem guardados em geladeiras apropriadas
Queijos de muitos tipos, orgânicos, claro, muito bem guardados em geladeiras apropriadas

Na hora de cobrar, o Instituto Chão pede uma contribuição sugerida de 30% sobre o total dos produtos. Paga quem quer ou pode. Melhor, pode-se pagar menos ou mais.

Lousa explica economia do Instituto Chão
Lousa explica economia do Instituto Chão

Em uma lousa preta no alto da parede sobre os caixas estão lá os custos do instituto. Tudo às claras. Diferente do que se vê no comércio tradicional.

No desenho, a explicação para economia solidária
No desenho, a explicação para economia solidária

Em outro espaço menor, à vista dos olhos do comprador, um outro esquema feito à mão explica a economia solidária do local.

E assim vem vindo esse comércio diferente e inovador desde que foi inaugurado, há cerca de um ano e meio, por um grupo de amigos.

E olha que vai muita, muita gente fazer feira lá! A sugestão é chegar cedo, pois os alimentos mais bonitos vão embora rapidamente.

Veja só os preços cobrados ontem:

Morangos, caixa: R$ 5

Alho poró, maço com 2: R$ 4

Logo cortadoReceba as boas notícias de vale mais direto no celular. Envie uma mensagem para 011 9 9985-3577 e pronto! Clique aqui e saiba mais

Maçã Fuji: R$ 9 o quilo;

Ovos Korin com 30: R$ 5 (OPA!)

Ovos, caipiras, korin, caixa com 6, com 10, com 30...
Ovos, caipiras, korin, caixa com 6, com 10, com 30…

Farinha de trigo branca Ecobio a granel: R$ 3,34

Castanha do Pará: R$ 35 o quilo

Paes integrais e orgânicos de vários sabores, um sucesso no Instituto Chão
Paes integrais e orgânicos de vários sabores, um sucesso no Instituto Chão
Produtos processados artesanais e industriais também estão presente
Produtos processados artesanais e industriais também estão presente

Pão artesanal, vários sabores: R$ 8,69

Sal negro do Hymalaya Gourmet: R$ 7,60 pacote com R$ 250 gramas

Pêssego: R$ 5 a bandeja

Salada verde em pacote: R$ 6

Polpa congelada de amora: R$ 8 pacote com 4 sachês

Beterraba: R$ 4 o quilo

Cebola roxa importada: R$ 10 o quilo

O lugar é bem organizado e há fila para pesar e depois uma fila para pagar. De preferência em dinheiro ou cartão de débito.

Sais de vários tipos, ainda por cima gourmet
Sais de vários tipos, ainda por cima gourmet

O café é gostoso e tem algumas pequenas refeições como sopas e pedaços de bolos para degustação. Hum, provei um panettone e tava bem gostoso!

Óleo de coco orgânico, o must das top models para hidratar os cabelos, e outros óleos descolados
Óleo de coco orgânico, o must das top models para hidratar os cabelos, e outros óleos descolados

Além da organização, o lugar tem uma pia para higiene das mãos. E tem mesinhas e cadeiras na lateral do sobrado, assim como na parte superior. Um convite para um papo e outro café!

Preços da cafeteria - nada igual em nenhuma outra cafeteria que conheço
Preços da cafeteria – nada igual em nenhuma outra cafeteria que conheço

Enfim, o Instituto Chão é ideal para quem quer economizar e fazer seu dinheiros valer mais.

Feijão, farinhas, castanhas do Pará, tudo orgânico mesmo
Feijão, farinhas, castanhas do Pará, tudo orgânico mesmo

Sonho da moçada que procura atitudes saudáveis como um todo, a cuidar da boa saúde do nosso meio ambiente e a ajudar a economia de pequenos produtores que cultivam orgânicos.

 Instituto Chão:
Rua Harmonia, 123, Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, SP. Fone (11) 3530-0907.
🕣 Aberto de terça a sábado das 8h30 às 14h.

👍 Funciona hoje, Dia das Crianças e de Nossa Senhora de Aparecida.

 vale mais

 Para quem quer curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

vale mais não se responsabiliza por alterações de preços; ausência de produtos em lojas físicas, comércio online, estoques e tampouco durante promoções. Fotos do blog e do Facebook do Instituto Chão.

Alimentos in natura, a melhor opção

Você sabia que a base de sua alimentação deve ser de alimentos in natura ou minimamente processados? Esta é uma das recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira, publicação do Ministério da Saúde que indica os princípios de como o brasileiro deve programar suas refeições.

O guia é um importante estudo para orientar os brasileiros a combater a desnutrição. E também prevenir doenças que estão dando o que falar, como a obesidade, diabetes, câncer e até infarto. Já está em sua segunda edição e pode ser baixado em sua totalidade da Internet.

 

Hoje vale mais traz parte da publicação que se refere a esta categoria de alimentos. Já publicamos partes do guia nos posts

➡  10 passos para uma alimentação saudável

 Saiba escolher, conservar e manusear bem os alimentos.

Vamos lá:

Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação:

Alimentos in natura ou minimamente processados, em grande variedade e predominantemente de origem vegetal, são a base para uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa, culturalmente apropriada e promotora de um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável.

Como vimos, alimentos in natura são obtidos diretamente de plantas ou de animais e são adquiridos para o consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração após deixarem a natureza.

A aquisição de alimentos in natura é limitada a algumas variedades como frutas, legumes, verduras, raízes, tubérculos e ovos. E, ainda assim, é comum que mesmo esses alimentos sofram alguma alteração antes de serem adquiridos, como limpeza, remoção de partes não comestíveis e refrigeração.

Grãos do Rio, por Diego Dacal, julho de 2010
Grãos do Rio, por Diego Dacal, julho de 2010

Outros alimentos como arroz, feijão, leite e carne são comumente adquiridos após secagem, embalagem, pasteurização, resfriamento ou congelamento.

Outros grãos como os de milho e trigo e raízes como a mandioca costumam ainda ser moídos e consumidos na forma de farinhas ou de massas feitas de farinhas e água, como o macarrão. O leite pode ser fermentado e consumido na forma de iogurtes e coalhadas.

Secagem de café, por Mauro Guanandi, agosto de 2008
Secagem de café, por Mauro Guanandi, agosto de 2008

Limpeza, remoção de partes não comestíveis, secagem, embalagem, pasteurização, resfriamento, congelamento, moagem e fermentação são exemplos de processos mínimos que transformam alimentos in natura em minimamente processados. Note-se que, como em todo processamento mínimo, não há agregação de sal, açúcar, óleos, gorduras ou outras substâncias ao alimento.

Alimentos in natura tendem a se deteriorar muito rapidamente e esta é a principal razão para que sejam minimamente processados antes de sua aquisição. Processos mínimos aumentam a duração dos alimentos in natura, preservando-os e tornando-os apropriados para armazenamento.

E podem também abreviar as etapas da preparação (limpeza e remoção de partes não comestíveis) ou facilitar a sua digestão ou torná-los mais agradáveis ao paladar (moagem, fermentação).

Arroz integral, michelle@TNS, agosto de 2011
Arroz integral, michelle@TNS, agosto de 2011

Em algumas situações, técnicas de processamento mínimo, como o polimento excessivo de grãos, podem diminuir o conteúdo de nutrientes dos alimentos e, nesses casos, deve-se preferir o alimento menos processado (como a farinha de trigo menos refinada e o arroz integral).

Entretanto, na grande maioria das vezes, os benefícios do processamento mínimo superam eventuais desvantagens.

Abaixo, uma definição da categoria de alimentos in natura ou minimamente processados e uma lista detalhada de exemplos.

O que são alimentos in natura ou minimamente processados?

Alimentos in natura são obtidos diretamente de plantas ou de animais e não sofrem qualquer alteração após deixar a natureza.

image
Peixe fresco, por Hits Thatswitch

Alimentos minimamente processados correspondem a alimentos in natura que foram submetidos a processos de limpeza, remoção de partes não comestíveis ou indesejáveis, fracionamento, moagem, secagem, fermentação, pasteurização, refrigeração, congelamento e processos similares que não envolvam agregação de sal, açúcar, óleos, gorduras ou outras substâncias ao alimento original.

Exemplos:

Legumes, verduras, frutas, batata, mandioca e outras raízes e tubérculos
in natura ou embalados, fracionados, refrigerados ou congelados;

arroz branco, integral ou parboilizado, a granel ou embalado;

O milho aos olhos de Aurore Antoine, setembro de 2012
O milho aos olhos de Aurore Antoine, setembro de 2012

milho em grão ou na espiga, grãos de trigo e de outros cereais;

feijão de todas as cores, lentilhas, grão de bico e outras leguminosas;

cogumelos frescos ou secos;

frutas secas, sucos de frutas e sucos de frutas pasteurizados e sem adição de açúcar ou outras substâncias;

O espaguete de Annabelle Orozcom, março 2012
O espaguete de Annabelle Orozcom, março 2012

castanhas, nozes, amendoim e outras oleaginosas sem sal ou açúcar; cravo, canela, especiarias em geral e ervas frescas ou secas;

farinhas de mandioca, de milho ou de trigo e macarrão ou massas frescas ou secas feitas com essas farinhas e água;

carnes de gado, de porco e de aves e pescados frescos, resfriados ou congelados;

Leite, por Chris Pelliccione, agosto de 2014
Leite, por Chris Pelliccione, agosto de 2014

leite pasteurizado, ultrapasteurizado (‘longa vida’) ou em pó, iogurte (sem adição de açúcar);

Água fresca, Alexander St., outubro de 2009
Água fresca, Alexander St., outubro de 2009

ovos;

chá, café, e água potável.

*  *  *  *  *

vale mais

 O blog para quem quer curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 

 vale mais não se responsabiliza por alterações de informações e recomendações do guia editado pelo Ministério da Saúde. Reprodução do texto e fotos sob licença Creative Commons. Todas as imagens são creditadas.

10 passos para uma alimentação saudável

Laranja cravo*****
Laranja-cravo*****

Em novembro passado, o governo federal lançou o Guia Alimentar para a População Brasileira.  Em alguns veículos de comunicação, o lançamento passou despercebido. Em outros, foi abordado e apresentado de forma resumida.

Hoje vale mais traz uma das principais conclusões do guia, que, no final, é  um estudo para orientar os brasileiros a combater a desnutrição. E também prevenir doenças que estão dando o que falar, como a obesidade, diabetes, câncer e até infarto.

Tomates******
Tomates******

A publicação pode ser encontrada em sua totalidade em versão digital na Internet. Traz informações de como comer e preparar a refeição e sugestões para enfrentar os obstáculos do cotidiano e manter um padrão alimentar saudável. Entre os problemas abordados estão a falta de tempo e a inabilidade culinária.

Vamos ao que diz o guia lançado pelo Ministério da Saúde. As informações são para quem quer e gosta de se alimentar bem, assim como quem procura adotar hábitos saudáveis. Sem idade. Sem distinção de classe social.

Dez passos para uma alimentação adequada e saudável

Procure legumes e vegetais que estejam no ponto**

1 – Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação

Em grande variedade e predominantemente de origem vegetal, alimentos in natura ou minimamente processados são a base ideal para uma alimentação nutricionalmente balanceada, saborosa, culturalmente apropriada e promotora de um sistema alimentar socialmente e ambientalmente sustentável.

Peixe fresco
Peixe fresco***

Variedade significa alimentos de todos os tipos – grãos, raízes, tubérculos, farinhas, legumes, verduras, frutas, castanhas, leite, ovos e carnes – e variedade dentro de cada tipo – feijão, arroz, milho, batata, mandioca, tomate, abóbora, laranja, banana, frango, peixes etc.

2 – Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias

Sal
Sal, nunca em excesso****

Utilizados com moderação em preparações culinárias com base em alimentos in natura ou minimamente processados, óleos, gorduras, sal e açúcar contribuem para diversificar e tornar mais saborosa a alimentação sem torná-la nutricionalmente desbalanceada.

3 – Limitar o consumo de alimentos processados

Os ingredientes e métodos usados na fabricação de alimentos processados – como conservas de legumes, compota de frutas, pães e queijos – alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos dos quais derivam. Em pequenas quantidades, podem ser consumidos como ingredientes de preparações culinárias ou parte de refeições baseadas em alimentos in natura ou minimamente processados.

4 – Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados

Devido a seus ingredientes, alimentos ultraprocessados – como biscoitos recheados, “salgadinhos de pacote”, refrigerantes e “macarrão instantâneo” – são nutricionalmente desbalanceados. Por conta de sua formulação e apresentação, tendem a ser consumidos em excesso e a substituir alimentos in natura ou minimamente processados. Suas formas de produção, distribuição, comercialização e consumo afetam de modo desfavorável a cultura, a vida social e o meio ambiente.

image5 – Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia

Procure fazer suas refeições em horários semelhantes todos os dias e evite “beliscar” nos intervalos entre as refeições. Coma sempre devagar e desfrute o que está comendo, sem se envolver em outra atividade.

Procure comer em locais limpos, confortáveis e tranquilos e onde não haja estímulos para o consumo de quantidades ilimitadas de alimento.

Sempre que possível, coma em companhia, com familiares, amigos ou colegas de trabalho ou escola. A companhia nas refeições favorece o comer com regularidade e atenção, combina com ambientes apropriados e amplia o desfrute da alimentação. Compartilhe também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições.

Frutas frescas são boa  opção
Frutas frescas são boa opção

6 – Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados

Procure fazer compras de alimentos em mercados, feiras livres e feiras de produtores e outros locais que comercializam variedades de alimentos in natura ou minimamente processados. Prefira legumes, verduras e frutas da estação e cultivados localmente. Sempre que possível, adquira alimentos orgânicos e de base agroecológica, de preferência diretamente dos produtores.

7 – Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias

Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las, principalmente com crianças e jovens, sem distinção de gênero.

Se você não tem habilidades culinárias – e isso vale para homens e mulheres –, procure adquiri-las. Para isso, converse com as pessoas que sabem cozinhar, peça receitas a familiares, amigos e colegas, leia livros, consulte a internet, eventualmente faça cursos e… comece a cozinhar!

8 – Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece

Planeje as compras de alimentos, organize a despensa doméstica e defina com antecedência o cardápio da semana. Divida com os membros de sua família a responsabilidade por todas as atividades domésticas relacionadas ao preparo de refeições.

Faça da preparação de refeições e do ato de comer momentos privilegiados de convivência e prazer. Reavalie como você tem usado o seu tempo e identifique quais atividades poderiam ceder espaço para a alimentação.

IMG_20150528_125955291_HDR9 – Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora

No dia a dia, procure locais que servem refeições feitas na hora e a preço justo. Restaurantes de comida a quilo podem ser boas opções, assim como refeitórios que servem comida caseira em escolas ou no local de trabalho. Evite redes de fast food.

10 – Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais

Lembre-se de que a função essencial da publicidade é aumentar a venda de produtos, e não informar ou, menos ainda, educar as pessoas.

Avalie com crítica o que você lê, vê e ouve sobre alimentação em propagandas comerciais e estimule outras pessoas, particularmente crianças e jovens, a fazerem o mesmo.

Em breve, vale mais irá trazer outras conclusões do guia.

Vertumnus, quadro de Giuseppe Arcimboldo que está no Castelo Skokloster Castle, na Suécia
Vertemmnus, quadro de Giuseppe Arcimboldo que está no Castelo Skokloster, na Suécia

*  *  * *  *  *

vale mais

 O blog para quem quer curtir coisas boas com pouca grana _ou sem nenhuma!  

Siga a gente nas redes sociais  _ só clicar:

facebook_logo_detail           Twitter_logo_blue           Instagram_Icon_Large           Google+

 vale mais não se responsabiliza por informações incorretas e complementações posteriores promovidas pelo Ministério da Saúde. Fotos com Licença Creative Commons: *do Guia; **Nancy Regan, setembro de 2010; ***Breno Peck, agosto de 2006; **** Dennis Wilkinsonm, abril de 2012; *****Arbyreed, janeiro de 2013; ****** Bartosch Salmanski, junho de 2011.