Arquivo da tag: Vacina contra H1N1

GRIPE H1N1 2017 – Atenção, vacina gratuita só até 26 de maio

Falta apenas uma semana para a campanha de vacinação contra gripe acabar _e somente 28,7 milhões de pessoas se imunizaram. Isso significa 53% do objetivo do Ministério da Saúde. A informação, divulgada ontem, leva em conta os números de todo o país até o dia 17 passado. Hora de se ligar e saber que até o dia 26 de maio é tempo de ir até uma UBS, Unidade Básica de Saúde, ou um Centro de Saúde integrante do SUS para proteção contra a influenza,  e a terrível gripe H1N1.

Vacina contra gripe da campanha do Ministério da Saúde sendo preparada para aplicação no Rio de Janeiro, foto de Tânia Rego, Agência Brasil

Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde,  considera muito importante que as pessoas se vacinem neste momento para estarem protegidas no inverno, quando os vírus da Influenza começam a circular com maior intensidade.

👉👀 GRIPE H1N1 2017 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para WhatsApp

“A vacina demora cerca de 15 dias para fazer efeito após aplicada, por isso é necessário que as pessoas, integrantes do público-alvo, se conscientizem e procurem os postos de saúde para se vacinarem antes do período de inverno”, aconselhou a coordenadora.

Vamos relembrar quais os grupos chamados prioritários que estão incluídos na campanha de 2017 e têm direito a receber a vacina gratuitamente:

  • Crianças de seis meses a menores de cinco anos;
  • Pessoas com 60 anos ou mais;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Gestantes;
  • Puérperas (até 45 dias após o parto);
  • Pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais;
  • Professores das redes pública e privada.
  • Povos indígenas;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema prisional;

➡  Portadores de doenças crônicas não transmissíveis, o que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

É importante lembrar que, mesmo pessoas vacinadas, ao apresentarem os sintomas da gripe – especialmente se são integrantes de grupos mais vulneráveis às complicações – devem procurar imediatamente o médico.

Os sintomas da gripe são:

  • febre;
  • tosse ou dor na garganta
  • dor de cabeça;
  • dor muscular e nas articulações.

O agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Logo cortado Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲. Envie uma msg para 011 9 9985-3577 e pronto! Clique aqui e saiba mais

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

Para a campanha deste ano, o Ministério da Saúde adquiriu 60 milhões de doses da vacina, garantindo estoque suficiente para a vacinação em todo o país. Os estados com a maior cobertura de vacinação no país, até o momento, são: Amapá (76%), Paraná (69,8%), Santa Catarina (68%), Rio Grande do Sul (67%), e Goiás (60,6%). Já os estados com menor cobertura são: Roraima (34,7%), Pará (35,8%), Rondônia (39,9%), Mato Grosso (41,7%), Piauí (43,2%) e Maranhão (43,8%).

As pessoas com mais de 60 anos foram as que mais procuraram a campanha,  com 13 milhões de doses aplicadas, o que representa 62,3% deste público, seguido pelas puérperas (59,7%) e trabalhadores de saúde (54,7%).

Os grupos que menos se vacinaram foram os indígenas (31,2%), crianças (39,6%), gestantes (44,6%) e professores (44,7%).

Entre as regiões do país, o Sul apresentou o melhor desempenho em relação à cobertura vacinal contra a influenza, com 68,3%, seguida pelas regiões Centro-Oeste (53,1%), Sudeste (52,9%); Nordeste (47,8%) e Norte (43%).

Quem não se encaixa nos critérios do Ministério da Saúde para receber a vacina gratuitamente,  pode procurar uma clínica de vacinação particular.

Veja o vídeo sobre a gripe feito pela OMS em espanhol, aqui, no canal do blog no Youtube.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações transmitidas com incorreções. Imagens com licença Creative Commons: *16 de maio de 2015 fotos públicas.
Anúncios

GRIPE H1N1 2017 – Sintomas e prevenção em 16 perguntas e respostas

O outono já está marcado por temperaturas mais baixas em parte do país e muita gente já começa a contrair gripe. E você, já sabe sobre a doença que pode afetar milhares de pessoas principalmente no outono e inverno? Sabe qual a diferença entre gripe e resfriado? O que fazer na gravidez? E o H1N1? Sabe como se proteger desse terrível vírus que pode até levar à morte?

➡ FEBRE AMARELA – Vacina é liberada para todas as cidades do Rio de Janeiro
➡  Vem curtir vale mais no Facebook para ficar sempre atualizado!
Vírus H1N1 em ilustração de vídeo da OMS
➡  LIBEROU GERAL – Vacina contra gripe de graça para todos a partir de segunda, 5 de junho

O ministério da Saúde preparou estas perguntas e respostas e enviou aqui para o blog vale mais, atualizadas para 2017. Vamos checar questões importantes e ter mais informação sobre a doença que é típica desta época do ano?

1 – O que é gripe ou influenza sazonal?
A influenza, também conhecida como gripe, é uma infecção do sistema respiratório cuja principal complicação são as pneumonias, responsáveis por um grande número de internações hospitalares no país.

 GRIPE H1N1 2017 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para WhatsApp

2 – Qual o microrganismo envolvido?
É o vírus influenza. Existem três (3) tipos de vírus influenza: A, B e C. O vírus influenza C causa apenas infecções respiratórias brandas, não possui impacto na saúde pública e não está relacionado com epidemias.
Os vírus influenza A e B são responsáveis por epidemias sazonais, sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes pandemias. Dentre os subtipos de vírus influenza A, os subtipos A (H1N1)pdm09 e A (H3N2) circulam atualmente em humanos.

3 – Quais os sintomas?
A gripe ou influenza sazonal inicia-se em geral com febre alta, seguida de:

  • dor muscular
  • dor de garganta
  • dor de cabeça
  • coriza
  • tosse seca.

A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios, como tosse, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre. Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado. 

4 – Como se transmite?
A influenza pode ser transmitida de forma direta por meio das secreções das vias respiratórias de uma pessoa contaminada ao espirrar, ao tossir ou ao falar, ou por meio indireto pelas mãos, que após contato com superfícies recentemente contaminadas por secreções respiratórias de um indivíduo infectado, podem carrear o vírus diretamente para a boca, nariz e olhos. Não há diferença de transmissão entre os tipos de influenza sazonal.

5 – Por quanto tempo os vírus influenza podem permanecer em uma superfície?
Sabemos que alguns vírus ou bactérias vivem por duas a oito (2 a 8) horas em superfícies. Lavar as mãos com frequência ajuda a reduzir as chances de se contaminar a partir dessas superfícies.

6 – Como tratar?
O tratamento dos sintomas da influenza sem complicações deve ser realizado com medicação sintomática, hidratação, antitérmico, alimentação leve e repouso. Nos casos com complicações graves, são necessárias medidas de suporte intensivo.

Atualmente, o medicamento antiviral fosfato de oseltamivir é indicado para o tratamento. Os medicamentos devem ser prescritos pelos profissionais médicos aos pacientes que apresentem condições e fatores de risco a complicações por influenza (gripe) e aos casos em que a doença já se agravou. Em caso de complicações, o tratamento será específico. É fundamental procurar atendimento nas unidades de saúde para que haja identificação precoce de risco de agravamento da doença.

7 – O que é resfriado?
O resfriado também é uma doença respiratória frequentemente confundida com a gripe, mas é causado por vírus diferentes. Os vírus mais comuns associados ao resfriado são os rinovírus, os vírus parainfluenza e o vírus sincicial respiratório (RSV), que geralmente acometem as crianças. Os sintomas do resfriado, apesar de parecidos com os da gripe, são mais brandos e duram menos tempo, entre dois e quatro dias.

Os sintomas incluem:

  • tosse
  • congestão nasal
  • coriza
  • dor no corpo
  • dor de garganta leve.

A ocorrência de febre é menos comum e, quando presente, é em temperaturas baixas. As medidas preventivas utilizadas para evitar a gripe, como a etiqueta respiratória, também devem ser adotadas para prevenir os resfriados.
Outra doença que também tem sintomas parecidos e que pode ser confundida com a gripe, é a rinite alérgica. Os principais sintomas são espirros, coriza, congestão nasal e irritação na garganta. A rinite alérgica não é uma doença transmissível e sim crônica, provocada pelo contato com agentes alergênicos (substâncias que causam alergia), como poeira, pelos de animais, poluição, mofo e alguns alimentos.

Usar lenço descartável ajuda a prevenir contra a gripe H1N1

8 – Como se prevenir da influenza?
Para redução do risco de adquirir ou transmitir doenças respiratórias, especialmente as de grande infectividade, como as do vírus influenza, orienta-se que sejam adotadas medidas gerais de prevenção, chamadas de “etiqueta respiratória”, tais como:

  • Lavar e higienizar as mão com frequência, principalmente antes de consumir alimentos;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

9 – O que as pessoas que apresentam sintomas de gripe devem fazer?

  • Evitar sair de casa em período de transmissão da doença (até 7 dias após o início dos sintomas);
  • Restringir ambiente de trabalho para evitar disseminação;
  • Evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados;
  • Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

10 – Quais são os sintomas que indicam que a pessoa deve procurar imediatamente um serviço de saúde?

  • dificuldade para respirar
  • lábios com coloração azulada ou roxeada
  • dor ou pressão abdominal ou no peito
  • tontura ou vertigem
  • vômito persistente
  • convulsão.

11 – Quais os cuidados que devem ser tomados em creches?
A aglomeração de crianças em creches facilita a transmissão de influenza entre crianças susceptíveis. A melhor maneira de proteger as crianças contra influenza sazonal e potenciais complicações graves é a vacinação anual contra influenza, que é recomendada a partir de 6 meses até 5 anos.

  • Além da adoção das medidas gerais de prevenção e “etiqueta respiratória”, os cuidadores e crianças lotadas em creches devem realizar a higienização do brinquedos com água e sabão quando estiverem sujos.
  • Deve-se utilizar lenço descartável para limpeza das secreções nasais e orais das crianças. Lenços ou fralda de pano, caso sejam utilizados, devem ser trocados diariamente.
  • Deve-se lavar as mãos após contato com secreções nasais e orais das crianças, principalmente, quando ela estiver com suspeita de síndrome gripal.
  • Cuidadores devem observar se há crianças com tosse, febre e dor de garganta e informar aos pais quando apresentarem os sintomas de síndrome gripal.
  • Devem, também, notificar a secretaria municipal de saúde, caso observem um aumento do número de crianças doentes com síndrome gripal ou com absenteísmo pela mesma causa na creche;
  • O contato da criança doente com as outras deve ser evitado.
  • Recomenda-se que a criança doente fique em casa, a fim de evitar transmissão da doença.
  • Recomenda-se que a criança doente permaneça em casa por pelo menos 24 horas após o desaparecimento, sem utilização de medicamento, da febre.

12 – Quais os cuidados a serem tomados com gestantes, puérperas e recém-nascidos?
Influenza causa mais doenças graves em gestantes que em mulheres não grávidas. Mudanças no sistema imunológico, circulatório e pulmonar durante a gravidez faz com que as gestantes sejam mais propensas a complicações graves por influenza, assim como hospitalização e óbito. As gestantes com influenza também têm maiores chances de complicações da gravidez, incluindo trabalho de parto e parto prematuros.

13 – A vacinação contra influenza durante a gravidez protege a gestante, o feto e até o bebê recém-nascido até os 6 meses?

  • As gestantes devem buscar o serviço de saúde, caso apresente sintomas de síndrome gripal;
  • Durante internação e trabalho de parto, se a mulher estiver com diagnóstico de Influenza, deve-se priorizar o isolamento;
  • Se a mãe estiver doente, deve realizar medidas preventivas e de etiqueta respiratória, como a constante lavagem das mãos, principalmente para evitar transmissão para o recém-nascido;
  • A parturiente deve evitar tossir ou espirrar próximo ao bebê. O bebê pode ficar em isolamento com a mãe (evitando-se berçários).
Vacina contra gripe da campanha de vacinação do Ministério da Saúde

14 – Qual a vacina ofertada no SUS?
A vacina influenza ofertada no SUS é recomendada pela OMS, Organização Mundial da Saúde, e produzida no Brasil pelo Instituto Butatan em parceria com o laboratório privado Sanofi Pasteur. A vacina da campanha de 2017 é trivalente e protege contra os tipos de vírus A (H1N1), A(H3N2) e Influenza B, que são os de maior importância epidemiológica, de acordo com a própria OMS.

A vacina é ofertada, anualmente, durante a Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza com o objetivo de reduzir as complicações e as internações decorrentes das infecções causadas pelos vírus, nos grupos prioritários para vacinação.

Pessoas com mais de 60 anos têm direito a tomar vacina gratuitamente no SUS

15 – Qual o público alvo da Campanha Nacional de Vacinação contra influenza de 2017?

  • Pessoas com 60 anos ou mais de idade;
  • Crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes;
  • Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto);
  • Trabalhadores da saúde;
  • Povos indígenas;
  • Pessoas com comorbidade, doenças crônicas e outras condições clínicas especiais;
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Professores de escolas públicas e privadas.

Este público alvo representará aproximadamente 54 milhões de pessoas. A meta é vacinar, pelo menos, 90% dos grupos elegíveis para a vacinação.

16 – Por que a campanha de vacinação é realizada anualmente e, geralmente, nos meses de abril e maio?
A influenza ocorre durante todo o ano, mas é mais frequente no outono e no inverno, quando as temperaturas caem, principalmente no Sul e Sudeste do Brasil.
A vacina é capaz de promover imunidade durante o período de maior circulação dos vírus influenza reduzindo o agravamento da doença.
No geral, a detecção de anticorpos protetores se dá entre 2 a 3 semanas após a vacinação e, em média, confere proteção de 6 a 12 meses, sendo que o pico máximo de anticorpos ocorre após 4 a 6 semanas da vacinação.
Por esse motivo, a vacinação é anual e busca proteger a população alvo da campanha contra as cepas que mais circularam no hemisfério sul, no ano anterior.

GRIPE H1N1 – Vacinação gratuita começa dia 17 em todo o país

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

 

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações que chegam ao blog com incorreções.Informações oficiais do Ministério da Saúde enviadas ao blog em 3 de maio de 2017.

GRIPE H1N1 2017 – Portadores de doenças crônicas e comorbidades já podem se vacinar gratuitamente

Desde ontem, pacientes com comorbidades (associação de duas ou mais patologias em uma pessoa) e doenças crônicas passaram a ter prioridade para serem vacinados contra a gripe na campanha de vacinação do Ministério da Saúde 2017.

GRIPE H1N1 2017 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para WhatsApp

Vacina contra gripe da campanha do Ministério da Saúde sendo preparada para aplicação no Rio de Janeiro, foto de Tânia Rego, Agência Brasil

Em informe publicado ontem, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo explica que a campanha deste ano foi feita por etapas porque o Ministério da Saúde, responsável pela distribuição das vacinas, está encaminhando-as aos estados de forma gradativa.

FEBRE AMARELA – Saiba os sintomas e como se prevenir

Isso não quer dizer que as pessoas enquadradas nas etapas anteriores e que ainda não foram vacinadas estejam impedidas de se vacinar. As doses continuam à disposição, respeitando a data de início para cada grupo.

Etapas
A campanha teve início no 10 de abril com a imunização de servidores da saúde dos hospitais. Na segunda etapa, iniciada dia 17, foram vacinados pessoas a partir dos 60 anos de idade e os servidores públicos e privados ligados ao setor da saúde.

Agenda da campanha de vacinação contra gripe em São Paulo

A quinta etapa começa no próximo dia 8 de maio, para professores da rede pública e privada e todos os outros grupos anteriores. O dia 13 de maio será o Dia “D” da campanha.

A meta da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo é imunizar, até 26 de maio, 10 milhões de pessoas, o que corresponde a 80% do total de 12,6 milhões que formam o público-alvo da campanha. As vacinas estão à disposição em mais de 4 mil postos de saúde distribuídos pelo Estado de São Paulo – consulte aqui, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Vacina contra gripe com cepas de vírus para a campanha de vacinação 2017

A vacina, produzida pelo Instituto Butantan, protege contra a gripe A H1N1, e gripes típicas do inverno causadas pelos vírus A/Hong Kong (H3N2) e B/Brisbane.

Cronograma da campanha:
1ª Etapa: a partir de 10 de abril: trabalhadores da saúde em hospitais.
2ª Etapa: a partir de 17 de abril: trabalhadores da saúde de serviços de saúde públicos e privados.
3ª Etapa: a partir de 24 de abril: gestantes, puérperas, crianças com pelo menos 6 meses e até 5 anos de idade e indígenas.
4ª Etapa: a partir de 2 de maio, pacientes com comorbidades e doenças crônicas.
5ª Etapa: a partir de 8 de maio: professores da rede pública e privada e todos os outros grupos anteriores.
13 de maio: Dia “D”.

Para compartilhar as doenças crônicas previstas na campanha, no ➡ computador: baixe as 10 imagens e espalhe como quiser; no ➡ celular: clique nas imagens rapidamente para ver todas; segure o dedo nas escolhidas, segure, salve e envie como preferir; ou clique no botão de compartilhamento de cada uma delas e escolha as redes sociais que quer enviar.

➡ Quem já está cadastrado em programas de controle do SUS, Sistema Único de Saúde, deve ir aos postos que são registrados para receberem a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

➡ Os portadores destas doenças crônicas que não estão cadastrados no SUS devem apresentar prescrição médica na hora de se vacinar.

➡ GRIPE H1N1 – Vacinação gratuita começa dia 17 em todo o país

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

A vacina contra gripe é contra-indicada para pessoas com alergia a ovo.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações que chegam ao blog com incorreções.Informações oficiais do site da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e da EBC.

GRIPE H1N1 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para WhatsApp

Portadores de doenças crônicas como asma e insuficiência cardíaca, pessoas transplantadas e obesos no grau III também têm direito à vacina contra gripe grátis durante a campanha do Ministério da Saúde que começou no último dia 17. São indicações específicas. É bom saber e compartilhar via  WhatsApp _informação é poder! O governo espera vacinar 9,4 milhões de pessoas que se encontram nestas condições em 2017.

➡  Vem curtir vale mais no Facebook para ficar sempre atualizado!
➡  LIBEROU GERAL – Vacina contra gripe de graça para todos a partir de segunda, 5 de junho

Você poderá clicar nos quadrados coloridos (abaixo da foto) com os nomes das doenças crônicas para espalhar fácil fácil no Messenger, Telegram, Facebook, Twitter e outras redes sociais. Tranquilo, dados oficiais do Ministério da Saúde.

Funcionária retira vacina contra gripe do frasco produzido pela Instituto Butantan

Para compartilhar no ➡ computador: baixe as 10 imagens e espalhe como quiser; no ➡ celular: clique nas imagens, salve e envie como preferir, ou clique no botão de compartilhamento e faça suas escolhas.

Se preferir compartilhar todo o conteúdo este post (que traz a lista também em formato de texto, mais abaixo), você pode clicar nos botões apropriados que estão no final.

Vale lembrar que a vacina é uma das formas mais seguras de proteção contra a temida e perigosa gripe H1N1.

➡ Quem já está cadastrado em programas de controle do SUS, Sistema Único de Saúde, deve ir aos postos que são registrados para receberem a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

➡ Os portadores destas doenças crônicas que não estão cadastrados no SUS (veja lista abaixo) devem apresentar prescrição médica na hora de se vacinar.

A vacinação desse grupo prioritário acontece em UBS, Unidades Básica de Saúde, e Centros de Saúde do SUS. Cada Estado determina quando os portadores devem se dirigir aos postos durante a campanha. Consulte o centro de saúde onde costuma ir para se orientar.

 GRIPE H1N1 – Vacinação gratuita começa dia 17 em todo o país

As doenças crônicas que estão incluídas no chamado grupo prioritário da campanha 2017 e suas indicações são iguais as determinadas pelo governo no ano passado. Confira aqui (são as mesmas informações das 10 imagens coloridas que estão acima):

Doença respiratória crônica:

  • Asma em uso de corticoide inalatório ou sistêmico (Moderada ou Grave);
  • DPOC;
  • Bronquiectasia;
  • Fibrose cística;
  • Doenças Intersticiais do pulmão;
  • Displasia broncopulmonar;
  • Hipertensão arterial Pulmonar;
  • Crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade.

Doença cardíaca crônica:

  • Doença cardíaca congênita;
  • Hipertensão arterial sistêmica com comorbidade;
  • Doença cardíaca isquêmica;
  • Insuficiência cardíaca.

Doença renal crônica:

  • Doença renal nos estágios 3, 4 e 5;
  • Síndrome nefrótica;
  • Paciente em diálise.

Doença hepática crônica:

  • Atresia biliar;
  • Hepatites crônicas;
  • Cirrose.

Doença neurológica crônica:

  • Condições em que a função respiratória pode estar comprometida pela doença neurológica;
  • Considerar as necessidades clínicas individuais dos pacientes incluindo: AVC, indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla, e condições similares;
  • Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular;
  • Deficiência neurológica grave.
Agenda da campanha de vacinação do contra gripe do Ministério da Saúde em São Paulo

Diabetes:

  • Diabetes Mellitus tipo I e tipo II em uso de medicamentos.

Imunossupressão:

  • Imunodeficiência congênita ou adquirida;
  • Imunossupressão por doenças ou medicamentos.

 Obesos:

  • Obesidade grau III.

Transplantados:

  • Órgãos sólidos;
  • Medula óssea.

Portadores de trissomias:

  • Síndrome de Down;
  • Síndrome de Klinefelter;
  • Síndrome de Wakany, dentre outras trissomias.

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

Vacina contra gripe com cepas de vírus para a campanha de vacinação 2017

Além dos portadores de doenças crônicas, todas as pessoas que se enquadram nestes requisitos formam o público-alvo da campanha: pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional.

A vacina contra gripe é contra-indicada  para pessoas com alergia a ovo.

A vacina contra gripe usada na campanha do Ministério da Saúde é a trivalente e é produzida pelo Instituto Butantan, de São Paulo.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 

 vale mais não se responsabiliza por informações que chegam ao blog com incorreções.Informações oficiais do Ministério da Saúde enviadas ao blog em 20 de abril de 2017.

GRIPE H1N1 – Vacinação gratuita começa dia 17 em todo o país

Está definido: a campanha de vacinação contra a gripe começa dia 17 de abril, segunda-feira próxima, em todo o país. Quem quer se proteger contra o temido vírus H1N1 e está na lista dos grupos que podem receber a vacina gratuitamente, pode ir para centros de saúde e UBS, Unidades Básicas de Saúde, que a imunização já estará disponível, informa o Ministério da Saúde.

Momento da aplicação da vacina usada durante a Campanha de Vacinação contra gripe, em Brasília, Elza Fiuza (Agência Brasil) no ano passado

A vacinação contra gripe promovida pelo governo federal termina no dia 26 de maio próximo. O Dia D, como é conhecido o dia em que há uma mobilização nacional em torno da campanha, será 13 de maio.  Deverão ser vacinadas mais de 54 milhões de pessoas que integram os grupos prioritários. O ministério adquiriu 60 milhões de doses para a imunização

Logo cortado Receba as boas notícias de vale mais no celular 📲. Envie uma msg para 011 9 9985-3577 e pronto! Clique aqui e saiba mais

A partir desta edição da campanha, professores das redes pública e privada passam a fazer parte dos grupos prioritários que podem receber a vacina durante a campanha. Cerca de 2,3 milhões desses profissionais em todo o País poderão se vacinar contra a gripe nos dias 2 e 3 de maio.

Profissionais que trabalham na área de saúde e funcionários de presídios também devem se vacinar. Este ano a campanha do governo começa antes da temporada de gripe chegar. Como a pessoa fica imune cerca de duas semanas depois, espera-se que bastante gente já esteja protegido.

Para relembrar, todos os anos a Organização Mundial da Saúde, OMS, sugere quais as cepas dos vírus que devem estar presentes nas vacinas para que a proteção efetiva. É que os vírus sofrem mutações e as novas vacinas precisam realmente imunizar as pessoas contra esses novos vírus que circulam nos ambientes.

Vírus H1N1 em ilustração de vídeo da OMS, você pode vê-lo completo em espanhol aqui

Olha só, para 2017 foi definido que as vacinas trivalentes devem conter em sua formulação cepas destes vírus:

  • um vírus similar ao vírus influenza A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09, que é uma variação do vírus contido na vacina do ano passado;
  •  um vírus similar ao vírus influenza A/Hong Kong/4801/2014 (H3N2);
  •  um vírus similar ao vírus influenza B/Brisbane/60/2008.

As vacinas tetravalentes ou quadrivalentes, que normalmente podem ser encontradas em clínicas privadas de vacinação, devem ter as cepas da trivalente (acima) mais um vírus similar ao vírus influenza B/Phuket/3073/2013.

Funcionária usa seringa para retirar do vasilhame a quantidade necessária para uma aplicação da vacina contra a gripe produzida pelo Instituto Butantan, foto de Eduardo Saraiva, governo do Estado de São Paulo

O Ministério da Saúde informa quais os grupos mais vulneráveis devem se vacinar todos os anos:

  • Pessoas com 60 anos ou mais
  • Grávidas
  • Mulheres com até 45 dias pós-parto
  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos
  • Doentes crônicos
  • Trabalhadores da saúde
  • Populações indígenas
  • Professores das redes pública e privada

Também para relembrar, a gripe causada pelo terrível vírus H1N1 já foi conhecida como “gripe suína”. A transmissão de uma pessoa para outra ocorre através da saliva, por espirros ou tosse. Se não for bem tratada, pode causar complicações e levar à morte.

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

Seringa com vacina contra gripe (H1N1) sendo preparada para profissionais do hospital Emílio Ribas, foto de Rovena Rosa, São Paulo, EBC, 2016

Quem não se encaixa nos critérios para receber a vacina gratuitamente,  pode procurar uma clínica de vacinação particular.

Para saber mais sobre a gripe, a OMS criou este vídeo em espanhol. Veja aqui, no canal do blog no Youtube.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações transmitidas com incorreções. Imagens com licença Creative Commons: *16 de maio de 2015 fotos públicas.

GRIPE H1N1 – Portadores de doenças crônicas têm direito à vacina grátis

Você sabia que portadores de doenças crônicas não transmissíveis como asma e alguns tipo de bronquite, e outras condições clínicas especiais (pessoas em diálise), independente da idade ou classe social, podem receber gratuitamente a vacina contra gripe que contempla o terrível vírus H1N1?

Momento da aplicação da vacina usada da Campanha de Vacinação contra gripe, em Brasília, Elza Fiuza (Agência Brasil)
Momento da aplicação da vacina usada da Campanha de Vacinação contra gripe, em Brasília, sábado*

O Ministério da Saúde, conforme indicação em conjunto com sociedades científicas, informa que pessoas com essas doenças fazem parte do chamado grupo prioritário da vacinação contra influenza. Quem se encontra neste grupo pode se vacinar em todos os postos de vacinação da campanha, que começou oficialmente anteontem, 30 de abril, em todo o país.

➡  GRIPE H1N1 2017 – Lista de doenças crônicas que dão direito à vacina grátis para compartilhar no WhatsApp

➡  Vem curtir vale mais no  Facebook para ficar sempre atualizado!

Como se sabe, essa gripe é terrível _tanto que já causou a morte de mais de 230 pessoas até o momento em todo o país.

A vacinação desse grupo prioritário deve ser realizada em todos os postos de vacinação da campanha. A vacina contra gripe usada na campanha do Ministério da Saúde é a trivalente e é produzida pelo Instituto Butantan, de São Paulo.

É necessária a prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina, que deverá ser apresentada no ato da vacinação.

Vidro e caixa da vacina contra gripe utilizada na campanha de vacinação do Ministério da Saúde, foto de Camilla Carvalho, Instituto Butantan
Vidro e caixa da vacina trivalente contra gripe utilizada na campanha de vacinação do Ministério da Saúde**

Pacientes já cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS, Sistema Único de Saúde, devem se dirigir aos postos que estão cadastrados para receber a vacina.

Caso no local de atendimento onde são atendidos regularmente não tenha um posto de vacinação, devem buscar a prescrição médica na próxima consulta que estiver agendada, visando garantir esse documento com antecedência e evitar filas no período da vacinação.

➡  Pacientes atendidos na rede privada ou conveniada também devem buscar a prescrição médica com antecedência, junto ao seu médico assistente, devendo apresentá-la nos postos de vacinação durante a realização da campanha de vacinação de 2016.

Abaixo, as doenças crônicas que estão incluídas no chamado grupo prioritário da campanha 2016.

Categorias de risco clínico com indicação da vacina influenza sazonal, Brasil 2016.

Doença respiratória crônica:

  • Asma em uso de corticóide inalatório ou sistêmico (Moderada ou Grave);
  • DPOC;
  • Bronquiectasia;
  • Fibrose Cística;
  • Doenças Intersticiais do pulmão;
  • Displasia broncopulmonar;
  • Hipertensão arterial Pulmonar;
  • Crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade.

LEIA: GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

Seringa com vacina contra gripe (H1N1) sendo preparada para profissionais do hospital Emílio Ribas, Rovena Rosa, São Paulo, EBC
Seringa com vacina contra gripe (H1N1) sendo preparada para profissionais do hospital Emílio Ribas***

Doença cardíaca crônica:

  • Doença cardíaca congênita;
  • Hipertensão arterial sistêmica com comorbidade;
  • Doença cardíaca isquêmica;
  • Insuficiência cardíaca.
Vacina contra gripe produzida pelo Instituto Butantan, foto de Camilla Carvalho, Instituto Butantan
Vacina contra gripe produzida pelo Instituto Butantan, foto de Camilla Carvalho, Instituto Butantan

Doença renal crônica:

  • Doença renal nos estágios 3, 4 e 5;
  • Síndrome nefrótica;
  • Paciente em diálise.

Doença hepática crônica:

  • Atresia biliar;
  • Hepatites crônicas;
  • Cirrose.

Doença neurológica crônica:

  • Condições em que a função respiratória pode estar comprometida pela doença neurológica;
  • Considerar as necessidades clínicas individuais dos pacientes incluindo: AVC, Indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla, e condições similares;
  • Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular;
  • Deficiência neurológica grave.

Diabetes:

  • Diabetes Mellitus tipo I e tipo II em uso de medicamentos.
Linha de produção de vacinas do Instituto Butantan, que faz a vacina trivalente usada na Campanha de Vacinação contra a Gripe***
Linha de produção de vacinas do Instituto Butantan, que faz a vacina usada na campanha de vacinação contra a gripe***

Imunossupressão:

  • Imunodeficiência congênita ou adquirida
  • Imunossupressão por doenças ou medicamentos.

Obesos:

  • Obesidade grau III.

Transplantados:

  • Órgãos sólidos;
  • Medula óssea.

Portadores de trissomias:

  • Síndrome de Down, Síndrome de Klinefelter, Sídrome de Wakany, dentre outras trissomias.

Estas informações são do Ministério da Saúde, em nota enviada em 22 de abril de 2016 aqui ao blog vale mais.

 Para compartilhar com parentes e amigos no WhatsApp, só clicar no ícone logo aqui embaixo do post. Você também pode compartilhar também no Facebook e outras redes! Informação é poder!

A estudante Bianca Medeiros

Vídeo: a estudante Bianca conta porque se vacinou contra a gripe H1N1. Só clicar aqui no canal YouTube do blog.

Vidrinhos com vacina contra H1N1 produzidas pelo Instituto Butantan, usadas na campanha de vacinação***
Vidrinhos com vacina contra H1N1 produzidas pelo Butantan, usadas na campanha de vacinação***
Logo cortado Receba as boas notícias de vale mais direto no celular 📲. Salve o número 011 9 9985-3577,  envie a frase EU QUERO no WhatsApp para  e pronto! Clique aqui e saiba mais

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações que nos chegam com incorreções. Fotos: *Elza Fiuza (Agência Brasil); **Instituto Butantan, Camilla Carvalho; ***Rovena Rosa, São Paulo (EBC, Empresa Brasileira de Comunicação).

SAÚDE – Vacinação contra gripe H1N1 começa dia 11 em SP

A campanha de vacinação contra gripe do governo federal começa no próximo dia dia 11, segunda-feira, no Estado de São Paulo. No restante do país, a partir de 30 de abril (conhecido como Dia D) até 20 de maio. A vacina é GRATUITA, vale lembrar, pois faz parte da campanha de imunização nacional que ocorre há vários anos.

Vacinação contra gripe em Curitiba, foto de Cesar Brustolin SMCS*, 16 de maio de 2015 fotos públicas
Vacinação contra gripe em Curitiba, foto de Cesar Brustolin SMCS*

O governo de São Paulo antecipou a campanha por causa de surtos de casos da gripe H1N1 ocorridos em várias cidades da região Noroeste do Estado, entre as quais São José do Rio Preto.

A gripe H1N1 já foi conhecida como gripe suína e a transmissão de uma pessoa para outra ocorre através da saliva, por espirros ou tosse. Se não for bem tratada, pode causar complicações e levar à morte.

GRIPE H1N1 – Saiba como se prevenir e se cuidar

A partir de sexta-feira próxima, 8 de abril, profissionais da área de saúde, que podem se contaminar facilmente, serão os primeiros a receberem a vacina, informa o governo de São Paulo. Para quem não sabe a vacina contra gripe é produzida pelo Instituto Butantan.

Preparo da seringa para vacinação, foto de Osnei Restio, Prefeitura de Nova Odessa**
Preparo da seringa para vacinação, foto de Osnei Restio, Prefeitura de Nova Odessa**

Veja se você se encaixa nos grupos para poder receber a vacina contra gripe gratuitamente:

➡ grávidas;
➡ pessoas com idade acima de 60 anos;
➡ crianças a partir de 6 meses a menores de 5 anos;
➡ mulheres que acabaram de passar pelo parto (até 45 dias após);
➡ trabalhador na área de saúde;
➡ povos indígenas;
➡ população privada de liberdade;
➡ funcionários do sistema prisional;
➡ portadores de doenças crônicas não transmissíveis e portadoras de outras condições clínicas especiais.

Grávida recebe vacina contra gripe, Valter Campanato*, agência Brasil, maio de 2012
Grávida recebe vacina contra gripe, Valter Campanato*, agência Brasil, maio de 2012

O governo do Estado informa que a vacinação este ano deverá atingir 982,8 mil crianças maiores de seis meses e menores de cinco anos, 179 mil gestantes e 1,83 milhão de idosos da capital e Grande São Paulo, totalizando quase 3 milhões de pessoas.

A vacina é uma das melhores maneiras de se proteger contra a gripe H1N1, que já foi conhecida também como a  gripe suína, recomenda a médica infectologista Nancy Bellei, da Sociedade Brasileira de Infectologia.

Quem não é elegível para receber a vacina do governo federal gratuitamente, pode procurar uma clínica de vacinação particular. A vacina contra gripe custa, em média, R$ 100.

Logo cortado Receba as boas notícias de vale mais direto no celular 📲. Envie uma mensagem para 011 9 9985-3577 e pronto! Clique aqui e saiba mais

Quem tomou este ano a vacina do ano passado, que tem as cepas (famílias) de vírus que circularam em 2014, deve esperar 30 dias e tomar a nova vacina com as cepas dos vírus de gripe de 2015, complementa a infectologista Nancy.

vale mais

 Boas notícias de como curtir coisas boas com pouca ou nenhuma grana  

 vale mais não se responsabiliza por informações transmitidas com incorreções. Imagens com licença Creative Commons: *16 de maio de 2015 fotos públicas.